Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Haddad elogia Kassab em cerimônia de diplomação

Depois de passar toda a campanha atacando a gestão Kassab, petista afirma durante cerimônia de diplomação que pretende manter projetos

O prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), usou seu pronunciamento nesta quarta-feira, durante sua cerimônia de diplomação no cargo, para elogiar seu neoaliado Gilberto Kassab (PSD). O petista agradeceu a postura do atual prefeito durante o período de transição no cargo: “Eu gostaria de registrar a maneira absolutamente republicana, altiva e respeitosa com que o prefeito Gilberto Kassab vem conduzindo essa transição. O prefeito tem se conduzido da maneira mais adequada, comprometida com o futuro da cidade e tem colocado 100% da sua equipe à disposição”.

Depois de passar toda a campanha atacando a gestão de Kassab, o petista afirmou que pretende manter alguns projetos em andamento. “Em uma democracia você não pode falar em descontinuidade. Aquilo que está funcionando bem será mantido, e aquilo que eu disse na campanha que vou mudar, eu vou”, disse.

Em seguida, Haddad tentou explicar a proximidade com Kassab: “Eu quis aproveitar um momento público pra dizer que nós temos tido todas as informações e que não esta faltando interação”.

Kassab apoiou o tucano José Serra na eleição paulistana, mas, tão logo o resultado foi proclamado, passou a negociar o embarque do seu PSD na base de apoio tanto do governo Dilma Rousseff, em Brasília, quanto de Fernando Haddad, em São Paulo.

Mudanças – Haddad afirmou que pretende elaborar com a equipe técnica da prefeitura os projetos de lei que serão encaminhados para a Câmara Municipal. “Não haverá surpresas. Eu apresentei um plano de governo que eu não pretendo nem reduzir e nem ampliar. Vamos perseguir aquelas metas e todas as leis que forem encaminhadas são para dar consequência ao que a sociedade já discutiu durante a campanha eleitoral.”

Haddad também voltou a dizer que pretende ampliar parcerias com o governo federal. “Temos um nível de parcerias que pode ser ampliado, e a primeira providência dos secretários será fazer um mapeamento de todos os programas federais que não chegaram com força na cidade de São Paulo”, disse.

Nesta terça-feira, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou o orçamento de 42 bilhões de reais para o primeiro ano da gestão Haddad, valor 8,5% superior ao autorizado para 2012.