Clique e assine a partir de 8,90/mês

Hacker que vazou mensagens da Lava Jato fecha acordo com PF

Em delação, acusado de roubar conversas privadas do Telegram revela que há mais pessoas envolvidas nas invasões de celulares de autoridades

Por Robson Bonin, Thiago Bronzatto - Atualizado em 22 nov 2019, 07h00 - Publicado em 22 nov 2019, 06h00

A Polícia Federal deu um passo importante para avançar na investigação das invasões de celulares de autoridades da República. Na semana passada, foi fechado um acordo de delação com um dos hackers acusados de roubar e vazar mensagens de integrantes da Operação Lava Jato. Reportagem desta edição de VEJA revela que o estudante Luiz Henrique Molição se comprometeu a identificar mais três pessoas que teriam participado dos ataques virtuais. Além disso, ele irá apresentar conversas privadas que estariam armazenadas em servidores fora do país e entregar o aparelho celular que usava para vazar mensagens roubadas.

A partir dessas informações, a PF pretende esclarecer se por trás das invasões nas contas de Telegram havia uma cadeia de comando que teria planejado e financiado os ataques. Ao todo, mais de 80 autoridades do país foram vítimas do golpe. Dentre elas, estão de ministros do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça ao presidente Jair Bolsonaro.

Assine agora o site para ler na íntegra esta reportagem e tenha acesso a todas as edições de VEJA:

Ou adquira a edição desta semana para iOS e Android.
Aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Continua após a publicidade
Publicidade