Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo de SP prepara pacote com 8 obras para enfrentar crise hídrica

Projetos visam levar mais água aos sistemas Alto Tietê e Guarapiranga, que podem ajudar a abastecer os 6,2 mi atendidos pelo Cantareira, diz jornal

Diante do agravamento da crise hídrica, o governo de São Paulo prepara um pacote de oito obras emergenciais para enfrentar o período seco deste ano, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo. Os projetos visam levar mais água aos sistemas Alto Tietê e Guarapiranga que, juntos, poderão ajudar a abastecer as 6,2 milhões de pessoas abastecidas pelo Cantareira na Grande São Paulo.

As obras previstas para elevar a captação de água e capacidade de tratamento do Alto Tietê preveem a construção de dutos desde o sistema Rio Grande, que abastece o ABC Paulista. Essa obra poderia transferir 4.000 litros por segundo de água para o sistema. Outra medida, já anunciada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) é a reversão do rio Guaratuba, para aumentar a reserva no Alto Tietê. Alckmin estuda ainda captar água do ribeirão Guaió. Segundo a reportagem, a captação se daria por meio da construção de uma adutora e uma estação elevatória entre o Guaió e o rio que alimenta uma das represas que abastece o Alto Tietê. O rio Itatinga também deve ser revertido para que passe a alimentar o sistema.

Leia também:

Falta d’água põe em risco festas de Carnaval por todo país

Já as medidas para alimentar o Guarapiranga incluem a ampliação da captação do braço Taquacetuba, da represa Billings – medida já anunciada pelo governo. O Taquacetuba também será reforçado por obras que vão captar água do rio Capivari, no extremo sul da capital paulista. O Alto Juquiá também passará a abastecer diretamente um afluente do Guarapiranga. A oitava obra do pacote prevê a ampliação da capacidade de tratamento de uma estação na Zona Sul, que hoje tem capacidade para tratar 14.000 litros por segundo e deve chegar a 16.000.

Ainda não há, contudo, informações sobre prazos e custo das medidas emergenciais. Segundo o jornal, o pacote visa, ao menos, adiar a decretação de rodízio na Grande São Paulo.