Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Gilmar Mendes manda soltar mulher de Cabral

Condenada por lavagem de dinheiro e organização criminosa, Adriana Ancelmo cumpria pena em regime fechado na mesma prisão que ex-governador do Rio

Por Da Redação - Atualizado em 18 dez 2017, 22h11 - Publicado em 18 dez 2017, 18h21

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar nesta segunda-feira a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB).

Adriana foi condenada a dezoito anos de prisão no âmbito da Operação Calicute e responde a outras três ações penais, sob acusação de lavagem de dinheiro de uma organização criminosa por meio da compra de joias. A mulher de Cabral foi presa preventivamente em dezembro do ano passado e chegou a cumprir a pena em regime domiciliar até março de 2017, no seu apartamento no Leblon, Zona Sul do Rio.

Em novembro, por 3 votos a 2, o Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro da 2ª Região (TRF2) decidiu mandar Adriana de volta para o regime fechado. Desde então, ela estava detida na penitenciária de Benfica, Zona Norte do Rio de Janeiro, onde também está o marido.

(Com Estadão e Agência Brasil)

Publicidade