Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Foi cena de Velho Oeste, diz deputado que viu candidato ser morto

Presidente do PTB em Goiás, Jovair Arantes acompanhava a carreata quando o candidato José Gomes foi executado nesta quarta-feira

Por Marcela Mattos - Atualizado em 29 set 2016, 11h54 - Publicado em 28 set 2016, 20h19

Testemunha do ataque que resultou na morte do candidato a prefeito de Itumbiara (GO), José Gomes Rocha (PTB), nesta quarta-feira, o deputado Jovair Arantes (PTB) credita o episódio a um crime político. Arantes acompanhava a carreata sobre um caminhão quando Gomes foi baleado e morto. “Foi um crime político da pior qualidade, uma coisa bárbara do velho oeste”, disse ao site de VEJA.

O candidato a prefeito liderava as pesquisas de intenção de voto e podia vencer a eleição neste domingo. “Ninguém vai dar um tiro num grupo político que é vencedor à toa”, avalia Arantes, que é presidente do PTB em Goiás.

O deputado afirma ter visto quando o atirador entrou em ação. Segundo ele, o assassino estacionou um carro preto na via contrária a que a carreata passava e entrou na frente do caminhão já disparando. “As pessoas estavam dançando, comemorando. Havia crianças na rua. Do nada um cara apareceu na frente do caminhão e disparou”, disse. “Toda hora havia pessoas na frente do caminhão abanando a mão, erguendo cartazes e santinhos… Essas coisas todas. Esse veio no rumo do caminhão, tirou o revólver e deu o tiro”, detalhou.

A carreata teve início por volta das 16 horas e reunia um grande número de carros e apoiadores. Acompanhava o evento político o vice-governador e Secretário de Segurança de Goiás, José Eliton, que também foi baleado. Ele passa bem. “O pânico se estabeleceu. Se o vice-governador não estivesse lá, com sua equipe de segurança, o bandido mataria todos nós. Todos poderíamos ter morrido”, afirma Arantes.

Publicidade