Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EXCLUSIVO: A vida de Lula no cárcere

VEJA teve acesso à ala restrita do prédio da PF e revela os detalhes dos primeiros trinta dias de cadeia do ex-presidente

O elevador para no 3º andar do prédio da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Quando se sai dele, à esquerda, um agente fardado, com uma espingarda calibre 12 em punho, impede o acesso à escada de incêndio. Subindo-se as escadas, em direção ao 4º andar, há duas portas corta-fogo de ferro. Cada uma delas exibe um alerta impresso em papel sulfite branco: o ambiente é monitorado por câmeras. O acesso é permitido somente a pessoas autorizadas. Atravessando-se a última porta, logo à direita, percebe-se que ali existe algo diferente. Uma fita azul, semelhante às usadas nos aeroportos para formar filas, dificulta o avanço de quem aparece. Ultrapassando-se a barreira, dois agentes fardados com uma pistola, do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), a tropa de elite da PF, fazem uma espécie de barricada ao lado de uma porta de madeira. Cruzando-se essa porta tem-se acesso a uma sala. É nesse espaço, de 15 metros quadrados, isolado e protegido da curiosidade alheia, que se encontra “o cliente”, apelido dado pelos policiais ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril.

Na tarde da sexta-feira 27, VEJA teve acesso com exclusividade ao local onde o petista está detido e reconstituiu o cotidiano de seu primeiro mês na prisão — uma rotina diferente da dos outros 22 presos na carceragem da PF em Curitiba. O ex-presidente não tem hora para acordar ou dormir, não tem hora para o banho de sol, pode receber os advogados quando desejar, as visitas não passam pela revista íntima e a cela, confortável se comparada às demais, não fica trancada. Normalmente, a porta permanece apenas fechada. Mesmo sem horários rígidos, o dia de Lula na prisão começa por volta das 7 horas — e segue uma rotina especial. Após pular da cama, Lula tem o hábito de ligar a televisão para acompanhar o noticiário da manhã. O desjejum é servido por volta das 7h30. O cardápio é frugal e o mesmo dos demais presos: café preto e pão com manteiga. Em deferência ao prisioneiro, o encarregado de servir a refeição bate na porta antes de abri-la. Entra, coloca a marmita sobre a mesa redonda e aplica uma dose de insulina no ex-presidente, necessária para o tratamento do diabetes.

Assine agora o site para ler na íntegra esta reportagem e tenha acesso a todas as edições de VEJA:

Ou adquira a edição desta semana, a partir desta sexta-feira, 4 de maio de 2018, para iOS e Android.
Aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. news da hora

    Lula criou quadrilhas com os petralhas , pmdbtralhas e cias , desviaram bilhões que poderiam ter sido investidos nas famílias de bem do nosso Brasil , nas áreas de saúde , segurança , educação . Por causa dos seus desvios com Odebrechets , Joesleys , Bumlai e cias , milhares de pessoas morreram e morrem .

    Curtir

  2. news da hora

    Portanto , Cadeia nele ! Em Lula e todos os membros do bando .

    Curtir

  3. news da hora

    Em democracias organizadas e com um judiciário forte , aonde não existe ministralhas , Lula não sairia mais da cadeia .

    Curtir

  4. news da hora

    Mas , com essa trinca de ministralhas : Gilmar , Toffoli e Levamdowiski ?????? O risco de ele sair é muito grande .

    Curtir

  5. news da hora

    Todos sabem que Lula tem que pegar no mínimo 100 anos . Pois na equação dos crimes da lava jato , e ele era o chefe . Lula vale + que 1000 Sérgio Cabral .

    Curtir

  6. Essa praga já tem data para sair:10 de Maio.Podem escrever!

    Curtir

  7. Social Democrata

    E que fique trancafiado por um bom tempo e essa petralhada pare de torrar o saco.

    Curtir

  8. JOSE ROBERTO DE LIMA MACHADO

    …se sair;o Brasil fica de quatro!

    Curtir