Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Eduardo Campos critica precipitação do debate eleitoral

Governador de Pernambuco volta a criticara política econômica da gestão Dilma Rousseff e diz que é preciso evitar um processo inflacionário no país

O governador de Pernambuco e pré-candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, criticou nesta quinta-feira a antecipação do debate eleitoral. “A gente vai ver que não foi boa essa precipitação, a gente fica só no jogo eleitoral, quando é fundamental garantir o equilíbrio das contas públicas e evitar um processo inflacionário”, afirmou para uma plateia de deputados estaduais durante um evento em Recife.

Campos, no entanto, voltou a fazer críticas à condução da política econômica do governo Dilma Rousseff ao observar que a inflação não pode ser contida apenas com aumento de taxa de juros – “esta é uma visão atrasada” -, mas com mais produção e controle das contas públicas.”É preciso ter a coragem de apoiar o que está certo, não só os da base do governo, mas também a oposição, que deve ser chamada para o debate nacional”, disse. Ele afirmou que sem isso, há o risco de que “aos vencedores podem sobrar as batatas quentes”.

O pernambucano também classificou a campanha presidencial de 2010 como “débil”. “O debate político foi muito aquém dos participantes”, afirmou.

Leia também:

Governo ‘constrange’ PSB para enfraquecer Campos, diz líder na Câmara

PT tenta conter avanço de Eduardo Campos no Nordeste

Campos assegurou que “essa velha política será vencida pelos fatos, vai ser ultrapassada pela força da sociedade e o desejo de caminhar do povo que venceu, em outros momentos, o autoritarismo, a bagunça inflacionária, a cegueira diante da exclusão social”. Também destacou a necessidade de controle social dos governos, por meio de instrumentos como o portal da transparência e auditorias. “Se deixar a máquina pública à vontade, ela só vai moer para o lado dos graúdos”, advertiu.

(Com Estadão Conteúdo)