Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dilma, a otimista, diz que vê ‘luz no fim do túnel’. E dá recado ao Congresso

No dia em que a inflação atingiu maior nível em doze anos, presidente afirma que tendência dos preços é de queda. Ela cobrou dos parlamentares manutenção dos vetos

Um dia depois de sofrer uma nova derrota no Congresso, a presidente Dilma Rousseff mandou nesta quarta-feira um recado aos parlamentares e cobrou a manutenção dos vetos presidenciais cuja análise está prevista para hoje. Mais otimista do que os números permitiriam, Dilma afirmou que “vê luz no fim do túnel” quando analisa a situação econômica, a despeito da grave crise que assola o Brasil. Mas disse que a saída passa pelo compromisso do Congresso com o país.

“Estou vendo luz no fim do túnel, mas o Congresso tem de mostrar seu compromisso”, disse Dilma, em entrevista às rádios Metrópole de Salvador e Barreiras, na Bahia, onde cumpre agenda na tarde desta quarta-feira, em cerimônia de entrega de casas do Minha Casa, Minha Vida. A frase se dá no dia em que a inflação no país atinge o maior índice em doze anos. Na terça-feira, as projeções para a economia global divulgadas pelo Fundo Monetário Internacional indicaram que o Brasil deve ter retração de 3% e inflação de 8,9% em 2015. Mas as previsões mostram uma outra derrota: em algum momento entre o fim de 2015 e o início de 2016, o país deve cair de sétimo para nono no ranking das maiores economias do planeta, segundo o FMI.

Na entrevista às rádios da Bahia, Dilma reconheceu que a inflação tem crescido, mas afirmou que a tendência é de queda, “fato reconhecido até mesmo pelo mercado”, e que sua gestão tem feito todos os esforços nesse sentido. A presidente falou também da reforma ministerial que anunciou na sexta-feira passada, destacando que sua gestão tem feito a sua parte no esforço de saída da crise..

Ao falar da análise dos vetos presidenciais pelo Congresso, Dilma ressaltou que é importante que deputados e senadores coloquem os interesses do país acima dos partidários e pessoais. “É fundamental que os interesses do Brasil sejam preservados”. Ela disse ainda que, neste momento de crise, o país aumentar desproporcionalmente as suas despesas é impossível.

Na terça-feira, por falta de quórum, a sessão conjunta da Câmara e Senado para análise dos vetos foi mais uma vez adiada. Entre os itens pendentes está o que veta o reajuste salarial de até 78,56% para os servidores do Judiciário e o veto à correção das aposentadorias e pensões acima de um salário mínimo com ganhos reais. Apesar do recado, ela disse crer que o Congresso Nacional vai demonstrar este compromisso com o Brasil. A sessão para apreciação dos vetos foi remarcada para a manhã desta quarta.

Questionada sobre a possibilidade de impeachment, Dilma reforçou o discurso petista que compara, de maneira indevida, um eventual processo de impedimento o golpe militar de 1964. “A democracia brasileira é forte o suficiente para prevenir que variantes golpistas tenham espaço no cenário político brasileiro”, respondeu.

(Com Estadão Conteúdo)