Clique e assine a partir de 9,90/mês

Deputado faz coro com Major Olímpio sobre saída de Flávio do PSL

Segundo Júnior Bozzella, qualquer um que estiver maculando a imagem do partido deve sair: 'Não importa se é filho do presidente'

Por Roberta Paduan - Atualizado em 17 set 2019, 12h37 - Publicado em 17 set 2019, 11h51

O senador Major Olímpio (PSL-SP) não está sozinho em seu partido, quando afirma que o colega de Senado Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) está envergonhando a legenda e, por isso, deveria deixá-la. Segundo o deputado federal Júnior Bozzella (PSL-SP), qualquer um que estiver maculando a imagem do PSL deve sair da sigla. “Não importa se é filho do presidente ou o próprio presidente”, afirmou a VEJA.

Bozzella, que tem base eleitoral na cidade de Santos, no litoral paulista, segue a linha partido-acima-de-tudo. “Durante todo o processo eleitoral de 2018, afirmamos que o PSL não teria políticos de estimação. Não dá, agora, para esquecer nosso compromisso e assistir, por exemplo, a tentativas de brecar a Lava Toga”, afirmou o parlamentar, referindo-se às pressões do senador Flávio Bolsonaro sobre seus pares de legenda com o objetivo de impedir a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar o Poder Judiciário.

Em sua última edição, VEJA revelou o racha do partido no Senado, que colocou em campos opostos Flávio Bolsonaro e os outros três colegas da sigla na Casa. Acusado de embolsar parte dos salários dos servidores de seu gabinete quando era deputado estadual do Rio, o que lhe rendeu um processo na Justiça, Flávio Bolsonaro está pressionando seus colegas a desistir da CPI e, assim, não importunar seus futuros julgadores. A cizânia culminou com o anúncio da saída da senadora Selma Arruda. Conhecida como “Moro de saias”, a parlamentar de Mato Grosso vai se filiar ao Podemos na quarta-feira.

Publicidade