Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

CPI da Pandemia convoca o misterioso Francisco de Araújo

Ex-secretário de Saúde do DF foi denunciado no ano passado por fraudar licitações na compra de testes de Covid

Por Hugo Marques Atualizado em 10 jun 2021, 10h37 - Publicado em 9 jun 2021, 14h18

A CPI da Pandemia aprovou hoje requerimento convocando o ex-secretário de Saúde do DF, Francisco de Araújo Filho, que foi preso no ano passado por fraudar licitações de compra de testes fajutos e superfaturados de Covid-19 no Distrito Federal. O prejuízo calculado pelo MPF é de 46 milhões de reais.

A convocação de Francisco partiu de requerimento assinado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE), feito a pedido do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Reportagem publicada por VEJA revelou que existe todo um mistério em torno da indicação de Francisco de Araújo, tema que virou um pivô de um embate político nos bastidores da CPI da Pandemia. Ex-ex-vereador do interior de Alagoas, Francisco assumiu a secretaria de Saúde do DF e nenhum político quer aparecer como o padrinho da nomeação.

Na época da prisão de Francisco, o deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF) disse que o então secretário era ligado ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), atual relator da CPI da Pandemia. Renan negou que tenha indicado Francisco para qualquer cargo público. Francisco participou de carreatas em apoio ao governador Renan Filho (MDB-AL), filho de Calheiros. Renan Filho também negou que tenha indicado Francisco.

Para o senador Izalci, Francisco pode ajudar a desvendar a corrupção nacional porque o esquema em Brasília tem ligações com vários atores nacionais. Izalci diz que Francisco mantinha contatos com lobistas ligados à Saúde e com escritórios que fazem intermediação de negócios em Brasília. Um dos empresários que participou de uma das fraudes na compra de testes superfaturados de Covid-19 em Brasília foi Fábio Campos, que era assessor parlamentar do deputado João Carlos Bacelar (PL-BA). O deputado também negou ter indicado Francisco para o cargo.

Continua após a publicidade
Publicidade