Clique e assine a partir de 9,90/mês

Câmara processa Cid Gomes e pede indenização

Por Da Redação - 19 mar 2015, 19h30

A avaliação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é que a demissão do ministro Cid Gomes (Educação) não foi o suficiente. Nesta quinta-feira, a Câmara dos Deputados ingressou com quatro ações contra Gomes, que provocou a ira de deputados nesta quarta após afirmar que na Casa há 400 “achacadores”. Três delas foram apresentadas à Procuradoria-Geral da República (PGR): uma por crime de responsabilidade – por ter sido convocado, Cid não poderia abandonar a sessão -, outra por condescendência criminosa – já que o ex-ministro se omitiu diante de crimes contra a gestão pública ao não dar os nomes de quem chamou de “achacador” – e a restante por improbidade administrativa – pelo fato de Cid se manter calado diante dos crimes, o que, segundo a Procuradoria da Câmara, fere princípios como lealdade e honestidade. A outra ação, por danos morais, foi ingressada na Justiça Federal de Brasília. A Casa alegou que a sua imagem foi ferida e apresentou uma ação de reparação. O valor da indenização ficará à critério do juízo. A Câmara apenas apontou o destino do recurso: o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. (Marcela Mattos, de Brasília)

Publicidade