Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bretas anuncia que não vai mais usar o Twitter

Juiz decidiu não postar mais na rede social um dia depois de usar ferramenta para justificar pedido que fez à Justiça para receber auxílio-moradia

Por Da Redação Atualizado em 1 fev 2018, 12h26 - Publicado em 31 jan 2018, 17h38

Responsável pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, o juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Marcelo Bretas, decidiu nesta quarta-feira 31 abandonar o Twitter. O anúncio foi feito um dia depois de ele ter justificado pela rede social o motivo de ter pedido à Justiça para receber o auxílio-moradia.

“Findo este período de férias, informo que não usarei esta conta de Twitter pelos próximos meses. Teremos um ano de muito trabalho”, escreveu.

  • Nesta semana, o jornal Folha de S. Paulo revelou que Bretas acionou a Justiça para receber o benefício. O magistrado é casado com uma juíza, que também recebe auxílio-moradia. Uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) proíbe o pagamento do benefício a casais que moram juntos. O auxílio-moradia é direito da magistratura como um todo, mas é uma vantagem voltada principalmente a magistrados que trabalham fora da cidade onde moram.

    O juiz reagiu à reportagem no Twitter, onde escreveu que “tem o estranho hábito” pedir na Justiça o que é dele por direito. “Talvez devesse ficar chorando num canto, ou pegar escondido ou à força . Mas, como tenho medo de merecer algum castigo, peço na Justiça o meu direito”, disse Bretas na rede social.

    Ao receber o auxílio-moradia – cujo valor é de 4.300 reais – o magistrado passou a receber todo mês cerca de 33.600 reais entre salário e benefícios, segundo dados fornecidos pelo CNJ.

    Os rendimentos de Marcelo Bretas chegam a ser maiores em alguns meses do ano. Segundo o CNJ, em novembro do ano passado, o juiz embolsou ao todo 43.000 reais. O valor era composto de salário (29.800 reais), indenizações (5.610 reais) e direitos eventuais (8.840 reais, entre gratificações natalina e por exercício cumulativo).

    Procurado, Bretas não se manifestou até o fechamento desta reportagem.

    Continua após a publicidade
    Publicidade