Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro sobre atrair o centro: ‘Não posso virar o Jairzinho paz e amor’

Em entrevista, presidenciável do PSL também afirmou que pediu a Paulo Guedes e General Mourão 'cuidado' com declarações

Por André Siqueira - Atualizado em 8 out 2018, 19h57 - Publicado em 8 out 2018, 16h47

O candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) disse, em entrevista à rádio Jovem Pan nesta segunda-feira, 8, que manterá seu discurso no segundo turno contra o petista Fernando Haddad. “Não posso virar o Jairzinho paz e amor e me violentar. Tenho que continuar sendo a mesma pessoa”, afirmou, ao ser questionado se flexibilizaria algumas de suas propostas em um aceno ao centro político.

O presidenciável também afirmou que pediu para seu guru econômico, Paulo Guedes, e candidato a vice, General Mourão, tomarem cuidado com declarações , como a proposta de volta da CPMF, feita por Guedes, ou a crítica ao 13º salário, expressada por Mourão. Em sua última manifestação, o general elogiou seu neto falando que era um “cara bonito” por conta do “branqueamento da raça”. “Pelo amor de Deus, isso não soma absolutamente nada e dá munição ao inimigo”, disse.

O presidenciável disse também que mantém contato com parlamentares para ampliar sua base aliada. Na reta final do 1º turno, a bancada ruralista declarou apoio ao candidato do PSL. Nas eleições deste domingo 7, a legenda elegeu 52 deputados e 4 senadores, além de ter três candidatos a governador disputando o segundo turno, em Rondônia, Roraima e Santa Catarina.

Bolsonaro afirmou que será reavaliado por uma junta médica do hospital Albert Einstein na quarta-feira, 10, mas que se sente bem e que pretende participar dos atos de campanha — ele só ressalvou que evitará aglomerações. Questionado sobre sua participação em debates, avaliou que deve participar. “Afinal de contas, debater com o PT não tem dificuldade.”

Continua após a publicidade
Publicidade