Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bolsonaro não se vacina, visita projeto social e critica o ‘fecha tudo’

Imunizante começou a ser aplicado em moradores de Brasília com 66 anos, a idade do presidente; ele não descartou a possibilidade de receber o antígeno

Por Gabriel Mascarenhas Atualizado em 3 abr 2021, 18h10 - Publicado em 3 abr 2021, 18h09

No dia em que poderia ter tomado a vacina contra a Covid-19, Jair Bolsonaro saiu para dar uma passeio e voltou a criticar o ‘lockdown’. Ao lado do novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, ele visitou um projeto social que distribui pratos de sopa à população desassistida na localidade de Itapõa, em Brasília.

A dupla se alimentou no local, e Bolsonaro gravou um vídeo. Nele, reafirmou sua contrariedade com o que classificou como “política radical do feche tudo” e lembrou que o número de brasileiros sem renda aumentou durante a pandemia. “É o que sempre disse lá atrás: o desemprego e o vírus, dois problemas. Nos preocupamos com os dois. Lamentamos as mortes […]. Cada vez mais, com mais desemprego na política de fecha tudo e fica em casa, mais gente está comendo menos”, criticou.

O presidente disse que defende medidas protetivas, mas, segundo ele, com limites: “A guerra, da minha parte, não é política. É uma guerra que, realmente, tem a ver com o futuro de uma nação. Não podemos esquecer a questão do emprego. O vírus estamos combatendo com vacinações e apoiamos medidas protetivas, agora, tudo tem um limite”, concluiu.

Bolsonaro já poderia ter se vacinado em Brasília. A partir deste sábado, 3, o imunizante começou a ser aplicado aos moradores da capital com 66 anos, a idade do presidente. Por ora, entretanto, porém, não há previsão de que ele vá se vacinar. Bolsonaro costuma emitir sinais difusos sobre o que pensa a respeito do assunto. Na maior parte do tempo, rechaça a pretensão de se imunizar. Em algumas ocasiões, no entanto, indica que pode ceder à ciência, como ocorreu hoje, mais cedo.

Ao chegar de visita a Itapõa, Bolsonaro disse em frente ao Palácio da Alvorada que não descarta ir receber a sua dose. “Acho que essa vacina minha tem que ser dada para alguém que não contraiu o vírus e tem risco muito, mas muito maior do que o meu. Da minha parte não tenho problema nenhum em buscar um posto de saúde, já que entrou a minha faixa etária, e me vacinar”, afirmou o presidente, que já contraiu a Covid-19.

Continua após a publicidade
Publicidade