Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Bolsonaro diz que não vai responder ofício da CPI sobre caso Covaxin

Presidente voltou a negar acusações de corrupção no caso da vacina indiana e em relação às denúncias de que um servidor da Saúde teria cobrado propina

Por Da Redação 8 jul 2021, 21h13

O presidente Jair Bolsonaro reagiu com desprezo a carta enviada nesta quinta-feira, 8, pelos integrantes da CPI da Covid. A comissão pede ao chefe do Planalto para confirmar ou não as denúncias de irregularidades feitas pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) sobre o contrato de compra da vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech.

Em sua tradicional live nas redes sociais, Bolsonaro disse que não irá responder às perguntas feitas pelos senadores da CPI em relação às denúncias de corrupção no Ministério da Saúde. Usando termos chulos, ele xingou a comissão que investiga o governo federal. “Hoje foi o Renan [Calheiros (MDB-AL)], o Omar [Aziz (PSD-AM)] e o saltitante, fizeram uma festa lá embaixo para eu responder pergunta à CPI. Você sabe qual a minha resposta, pessoal? Caguei. Caguei para CPI. Não vou responder nada. É uma CPI de sete pessoas, agora passaram para seis, que não estão preocupados com a verdade”, afirmou. “Saltitante” é como o presidente chama, de maneira pejorativa, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI.

O presidente voltou a negar as acusações de corrupção tanto no episódio de aquisição da vacina indiana Covaxin quanto em relação às denúncias de que um servidor do Ministério da Saúde teria cobrado propina de 1 dólar: “É para ficar revoltado com essa forma que essa CPI trata esse assunto tão sério. Daí me rotulam como corrupto onde não gastei. Não recebemos nem uma dose sequer”.

Bolsonaro ainda acusou os membros da CPI de “criarem caos”, já que a comissão também é foco de atenção do mercado financeiro. Sem apresentar dados que comprovem sua fala, o presidente disse que os desdobramentos das investigações “mexem na Bolsa, fazem aumentar o preço do petróleo e fazem aumentar o preço do combustível por tabela”.

Ele também atacou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que aparece à sua frente em pesquisas sobre as eleições de 2022. “Agora sou corrupto sem ter gasto um centavo com vacina. Zero. Não vou responder nada para esses caras, em hipótese alguma. Eles não estão preocupados com a verdade, e sim em desgastar o governo. O Renan, por exemplo, é ‘aliadíssimo’ do Lula, o cara quer a volta do Lula a qualquer preço”, disse.

Continua após a publicidade
Publicidade