Clique e assine a partir de 8,90/mês

Bolsonaro avalia nome para agradar evangélicos na Educação

Presidente eleito se reunirá com o procurador-regional da República Guilherme Schelb, favorável ao projeto Escola sem Partido e contra discussões de gênero

Por Da Redação - Atualizado em 22 nov 2018, 15h10 - Publicado em 22 nov 2018, 10h17

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que vai conversar nesta quinta-feira, 22, com o procurador-regional da República Guilherme Schelb para uma eventual indicação para o Ministério da Educação. Segundo ele, ainda não há definição sobre quem irá comandar a pasta.

O procurador Guilherme Schelb é cotado para ocupar o Ministério da Educação na gestão de Jair Bolsonaro Facebook/Reprodução

Abertamente defensor do projeto Escola sem Partido, que visa combater uma suposta “doutrinação ideológica” em sala de aula, Schelb também afirma ser contra as discussões sobre gênero nas escolas. O nome poderia agradar a bancada evangélica, que reagiu à notícia de que o educador Mozart Neves, diretor do Instituto Ayrton Senna, considerado mais moderado, já havia sido escolhido para a pasta da Educação.

Nesta quinta-feira, antes de encontro com os futuros chefes das Forças Armadas, Bolsonaro disse que o anúncio de Mozart Neves foi uma tentativa de indispô-lo com a bancada evangélica. Na quarta-feira, diante dos protestos após a veiculação do nome, o presidente eleito recuou publicou no Twitter: “Informo que até o presente momento não existe nome definido para dirigir o Ministério da Educação.”

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade