Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Após encontro com Bolsonaro, Onyx fala em aprovar Previdência em junho

Ministro da Casa Civil disse esperar um relatório "equilibrado" do relator que deve ser apresentado na terça-feira na comissão especial da Câmara

Por Da redação Atualizado em 9 jun 2019, 13h28 - Publicado em 9 jun 2019, 12h34

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou neste domingo que o governo trabalha com a expectativa de aprovar a reforma da Previdência na Câmara ainda em junho. Ele também disse esperar um relatório “equilibrado” do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator do projeto na Casa, que deve apresentado na comissão especial “provavelmente” nesta terça-feira.

“Seguramente vamos ter no relatório potência fiscal com o atendimento das demandas do Parlamento, o que é normal, para que a gente possa, se Deus quiser, ainda no mês de junho, aprovar na Câmara dos Deputados a nova Previdência”, afirmou o ministro, que esteve reunido neste domingo de manhã com o presidente Jair Bolsonaro na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência da República.

Apesar do otimismo de Onyx, o relatório só deve ser apresentado depois do Fórum de Governadores, em Brasília, que será realizado na terça-feira. Há um intenso debate no Congresso se os  Estados e municípios devem ou não ficar de fora das alterações nas aposentadorias previstas na reforma proposta pelo governo. A expectativa do relator, contudo, é que o texto seja apresentado ainda nesta semana.

Onyx também falou sobre o texto pactuado entre os três Poderes, que apresenta um cardápio de propostas para o país avalizado pelo Executivo, Legislativo e Judiciário. Uma cerimônia de assinatura do protocolo de intenções estava marcada para esta segunda-feira, mas foi adiada porque o texto, que defende as reformas previdenciária e tributária, sofre resistência de lideranças dos partidos. Na visão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a medida acabou rotulada como “pauta do governo”.

Segundo o ministro, o presidente “revisou mais de uma vez o texto”, fez “algumas sugestões”, e a sua chancela depende agora de uma nova conversa com Rodrigo Maia, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli.

“Ao longo do dia de hoje eu converso com o presidente Rodrigo Maia, com o presidente Davi Alcolumbre e amanhã devo voltar a conversar com o ministro Toffoli para a gente ver se nesta semana ou na próxima a gente consegue fazer a assinatura do pacto”, disse Onyx.

O ministro explicou que o “pacto entre Poderes” busca construir um “grande entendimento” para tirar o Brasil da crise, “sem haver interferência nenhuma de um poder no outro”.

(Com Estadão Conteúdo) 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)