Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após G7 oferecer dinheiro, Bolsonaro ataca Macron e desdenha de ajuda

No Twitter e diante de jornalistas, presidente colocou sob suspeita interesses de países ricos na região amazônica

Após o grupo de sete potências mundiais anunciarem a liberação de 20 milhões de euros (cerca de 91 milhões de reais) em auxílio emergencial para combater as queimadas na Floresta Amazônica, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a atacar o francês Emmanuel Macron e desdenhou da ajuda oferecida.

“Macron promete ajuda de países ricos à Amazônia. Será que alguém ajuda alguém — a não ser uma pessoa pobre, né? — sem retorno? Quem é que está de olho na Amazônia? O que eles querem lá?”, disse Bolsonaro em pronunciamento a jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada, recusando-se a responder questionamentos dos repórteres.

No Twitter, o presidente também classificou as críticas que recebeu do presidente francês como ataques à floresta. “Não podemos aceitar que um presidente, Macron, dispare ataques descabidos e gratuitos à Amazônia, nem que disfarce suas intenções atrás da ideia de uma “aliança” dos países do G-7 para “salvar” a Amazônia, como se fôssemos uma colônia ou uma terra de ninguém”, escreveu.

A maior parte do dinheiro que será doado deve ser destinado ao envio de aviões Canadair de combate a incêndios. Além disso, o grupo das sete maiores economias do mundo também decidiu apoiar um plano de reflorestamento de médio prazo que será apresentado na Assembleia-Geral das Nações Unidas em setembro.

Para que a medida entre em vigor, o Brasil terá que concordar em trabalhar com ONGs e populações locais, segundo Macron. Essa “iniciativa para a Amazônia” foi anunciada ao final de uma sessão da cúpula do G7 dedicada ao meio ambiente, durante a qual foi discutida a situação na Amazônia, que tem provocado grande preocupação internacional.

As medidas foram divulgadas oficialmente por Macron e pelo presidente chileno, Sebastian Piñera, em uma coletiva de imprensa nesta segunda durante a reunião de cúpula do G7 em Biarritz. Emmanuel Macron tornou a situação na Amazônia uma das prioridades da cúpula, apelando no sábado para uma “mobilização de todos as potências” para lutar contra as queimadas e em favor do reflorestamento.

(com Reuters e AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fernanda Fernandes

    Isso mesmo Bolsonaro. Touché neles!. Ninguém oferece ajuda se não por alguma coisa em troca. Desconfie, desafie, em seguida toque esse povo daqui.

    Curtir

  2. Paulo Bandarra

    Quem estava dizendo que não faria nada por não ter dinheiro foi o Bolsonaro. Mente prá burro.

    Curtir

  3. Paulo Bandarra

    Vai acabar saindo da presidência de camisa de força.

    Curtir

  4. ViP Berbigao

    Alguém precisa falar que a França faz fronteira com o Brasil!!! É a Guiana Francesa e seu território fica na região amazânica.

    Curtir

  5. ViP Berbigao

    ops… amazônica…. kkkk

    Curtir