Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Aécio classifica desempenho de Marina Silva em pesquisa como ‘onda’

No Rio de Janeiro, candidato tucano à Presidência caminhou nas ruas do Saara e ironizou possibilidade de colaboração de FHC com a presidenciável socialista

Por Daniel Haidar, do Rio de Janeiro 25 ago 2014, 14h12

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, classificou nesta segunda-feira como uma “onda” o bom desempenho da adversária Marina Silva (PSB) nas pesquisas de intenção de voto. O tucano esteve pela manhã nas ruas do Saara, tradicional centro de comércio popular no Rio de Janeiro, onde cumprimentou eleitores, posou para fotos e concedeu entrevista para a rádio da associação de empresários do local. A agenda foi organizada pelo presidente do PMDB do Rio, Jorge Picciani, como parte do movimento “Aezão” – movimento de apoio às candidaturas de Aécio para o Planalto e de Luiz Fernando Pezão para o governo fluminense.

A primeira pesquisa Datafolha realizada após a trágica morte de Eduardo Campos mostra Marina com 21% das intenções de voto, em empate técnico com o tucano Aécio Neves, que tem 20%. A presidente Dilma Rousseff (PT) aparece na frente com 36% da preferência do eleitorado. Pastor Everaldo, do PSC, tem 3%. Para Aécio, somente a partir da segunda quinzena de setembro será possível traçar um quadro mais confiável da disputa eleitoral. “Dentre os candidatos na dianteira das pesquisas, ainda sou pouco conhecido dos eleitores. A televisão e nossas caminhadas pelo Brasil vão ajudar. Acredito que a partir do dia 10 ou 15 de setembro começaremos a ter um quadro mais próximo daquele que será o quadro eleitoral”, afirmou o tucano. “Política e eleições funcionam como esse mar do Rio: as ondas vêm”, disse, reiterando que está confiante em que estará no segundo turno.

Leia também:

Com entrada de Marina, Dilma fica mais longe do apoio evangélico

Aécio Neves lança programa Nordeste Forte

Aécio afirma que, se eleito, vai reajustar a tabela do SUS

“Software original” – O tucano ainda ironizou a possibilidade de colaboração de Fernando Henrique Cardoso com Marina, defendida pelo economista Eduardo Giannetti da Fonseca, colaborador da ex-senadora, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Pouco depois de lembrar que o programa Bolsa Família reuniu propostas lançadas no governo FHC, Aécio respondeu: “Fico muito honrado em ver referências positivas aos nossos quadros, mas o que vai prevalecer é o software original. Quem vai governar é o PSDB com seus aliados”.

Continua após a publicidade
Publicidade