Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

A lição de Getúlio para o Lula de 2022, segundo raposas da política 

Querem que o petista ceda em pontos do programa de governo e se preocupe com o eventual mandato, não só com a eleição

Por Caio Sartori Atualizado em 10 jun 2022, 09h28 - Publicado em 9 jun 2022, 19h47

Algumas velhas raposas da política, daquelas que entendem bem de máquina pública e governabilidade, têm avaliado que Lula (PT) precisa pensar com mais atenção não só no pleito, mas em como seria a sustentação do eventual novo mandato. Hoje, as pesquisas não mostram a necessidade de o petista mudar estratégias eleitorais, mas a suposta falta de disposição do “Lula 2.0” para negociar pontos do programa de governo preocupa. 

Uma dessas raposas evoca o Getúlio Vargas de 1950, que ganhou com folga a eleição e, mesmo assim, penou para governar do ano seguinte até 1954, quando “saiu da vida para entrar na História” pelas próprias mãos. Ou seja, Lula precisaria montar um programa de governo capaz de lhe garantir apoios que tornem o bolsonarismo uma força isolada de oposição, sem o poder de paralisar o governo – como a UDN fez com Vargas, lembre-se. 

Há a leitura, mesmo entre caciques que já estão com Lula, de que o petista se apresenta mais irredutível em suas ideias neste cenário pós-prisão, com menos propensão a conciliar ideias. “Programa de governo tem, necessariamente, que ser negociável”, aponta um deles. 

A avaliação é forte, por exemplo, no MDB – que tem hoje a pré-candidatura de Simone Tebet à presidência, mas dificilmente caminhará de forma unificada com ela. Seja na ala do Nordeste, com os lulistas Renan Calheiros Eunício Oliveira, ou na de Michel Temer, mais afastada do PT desde o impeachment.

Figuras como o ex-ministro Moreira Franco, homem-forte de Temer, têm mantido interlocução com o partido de Lula, mas se revoltam, entre outras coisas, com as declarações do presidenciável sobre a possibilidade de revogar a reforma trabalhista.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)