Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

1º de maio: São Paulo terá atos a favor e contra Dilma

As principais centrais sindicais do país vão às ruas de São Paulo neste 1º de maio, Dia do Trabalho, com pautas antagônicas. Enquanto a Central Única dos Trabalhadores (CUT) organiza ato a favor da presidente Dilma Rousseff no Vale do Anhangabaú, a Força Sindical deve reunir lideranças pró-impeachment na Praça Campo de Bagatelle. Já na Avenida Paulista, um grupo vai protestar “contra todos”.

Oficialmente um ato em defesa “dos direitos dos trabalhadores”, o evento da CUT servirá de palanque para Dilma, que confirmou presença, assim como o ex-presidente Lula. O atual vice Michel Temer será um dos alvos dos sindicalistas. Segundo os organizadores, o ato começa às 10h, com Lula aparecendo às 13h e Dilma, às 14h. No evento, a presidente deve anunciar um “pacote de bondades” com reajuste ao Bolsa Família e correção na tabela do Imposto de Renda. Show de artistas que já se posicionaram contra o impeachment, como Beth Carvalho, Martinho da Vila e Chico César, também estão programados.

Presidida pelo deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), um dos apoiadores do impeachment, a Força Sindical realiza o seu ato de 1º de Maio na Praça Campo de Bagatelle, na Zona Norte de São Paulo. Lideranças da oposição foram convidadas a participar e, segundo Paulo Pereria, o Paulinho da Força, o evento será um “contraponto” à festa da CUT. Haverá shows de Michel Teló, Gusttavo Lima e Paula Fernandes, entre outros.

Na Avenida Paulista, a CSP-Conlutas (Central Sindical e Popular) vai comandar um ato “contra todos”. Com o tema “independência dos patrões e do governo”, a central sindical vai protestar contra “Dilma, Cunha, Temer, Renan, Aécio, Serra e Alckmin”.

(Da redação)