Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Yanukovych apoia mesa-redonda entre governo e oposição da Ucrânia

Oposição quer que governo convoque eleições presidenciais e parlamentares antecipadas

Por Da Redação 9 dez 2013, 11h31

O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, apoiou nesta segunda-feira a proposta de realizar uma mesa-redonda nacional entre governo e oposição para solucionar a crise causada pelos grandes protestos que eclodiram em 21 de novembro, após o governo se recusar a assinar um tratado com a União Europeia (UE). “Em sua opinião [de Yanukovych], essa mesa-redonda pode ser uma plataforma para o entendimento”, informou a presidência ucraniana em comunicado em seu site.

A proposta foi apresentada pelo primeiro chefe de Estado da Ucrânia independente, Leonid Kravchuk, de quem também partiu a iniciativa de realizar uma reunião entre o atual presidente e os três últimos mandatários para abordar a situação no país e que acontecerá amanhã, terça-feira. Recentemente, três ex-presidentes da Ucrânia, Kravchuk, Leonid Kuchma e Viktor Yushchenko, expressaram em carta aberta seu apoio aos protestos populares. A oposição exigiu no fim de semana a libertação dos manifestantes detidos e a punição dos que ordenaram a repressão violenta das manifestações pacíficas. Após o cumprimento dessas condições, a oposição estaria disposta a conversar com as autoridades para formar um governo técnico que se encarregaria de negociar a associação com os membros da UE. Além disso, o governo provisório deveria convocar eleições presidenciais e parlamentares antecipadas.

Leia também

Por que UE e Rússia querem tanto a Ucrânia?

Ucrânia, um país com um histórico de tragédias

Ucrânia

Na sexta-feira passada o primeiro-ministro ucraniano, Nikolai Azarov, se mostrou disposto a dialogar com a oposição, mas com a condição de que seus ativistas desocupassem a prefeitura e permitissem o trabalho das instituições públicas. A oposição ucraniana anunciou que se prepara para se defender diante de um possível ataque policial e convocou os manifestantes a comparecerem à Praça da Independência, no centro de Kiev.

Continua após a publicidade

Vídeo: Manifestantes derrubam a estátua de Lênin em Kiev

A praça já conta com a presença de policiais e soldados. Além disso, vários caminhões e ônibus com soldados foram enviados ao local, coincidindo com o fim do prazo que a polícia deu aos manifestantes para sair dos edifícios públicos. Outros ônibus com soldados se encontram em frente às barricadas erguidas pelos manifestantes em outra zona do centro da capital ucraniana. Ontem, cerca de meio milhão de pessoas se reuniram na maior manifestação nessa praça desde o início dos protestos.

(Com agência EFE e France-Presse)

Saiba mais

Continua após a publicidade

Publicidade