Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Xi Jinping diz que corrupção pode acabar com o país

Tema voltou a ser ressaltado em discurso pelo novo secretário-geral do PC

O Partido Comunista chinês corre o risco de enfrentar distúrbios e ver seu regime desmoronar caso a prática da corrupção se dissemine na China, disse o chefe partidário Xi Jinping nesta segunda-feira, durante um de seus primeiros compromissos como secretário-geral, publicou a imprensa estatal. O tema corrupção esteve presente nos discursos dos dirigentes chineses durante o 18º congresso do PC, inclusive na fala do próprio Xi Jinping.

Leia mais: Premiê promete combater a corrupção nos próximos 5 anos

“Nos últimos anos, alguns países acumularam problemas, levando a uma efervescente indignação popular, inquietação civil e colapso governamental – a corrupção tem sido um fator importante em tudo isso”, disse Jinping em uma sessão de estudos do Politburo, o segundo mais importante órgão decisório do Partido Comunista.

Usando termos excepcionalmente diretos, Xi Jinping, que deve assumir a presidência do país em março de 2013, comparou a corrupção a “vermes se proliferando em uma matéria em decomposição” – fazendo alusão a um antigo provérbio chinês. “Muitos fatos nos dizem que, conforme a corrupção piora, o único resultado será o fim do partido e o fim do Estado! Devemos ser vigilantes!”.

Leia também: Sombra do passado paira sobre novos dirigentes da China

O secretário-geral disse ainda que os membros do partido, especialmente seus dirigentes, não devem abusar de seus cargos para obter ganhos pessoais e que eles não estão acima da lei. As autoridades, ressaltou, “devem reforçar seu controle sobre suas relações e sobre aqueles com quem trabalham”.

“Recentemente, nosso partido teve sérios casos jurídicos e de disciplina de natureza desprezível, que tiveram um efeito político ruim e chocaram as pessoas”, afirmou, sem citar tais incidentes. A declaração, no entanto, pareceu ser uma referência aos recentes casos envolvendo o ex-dirigente Bo Xilai e o premiê Wen Jiabao.

Casos Os meses que antecederam o congresso partidário que definiu uma nova geração de líderes chineses foram marcados por diversos escândalos envolvendo dirigentes do partido, entre eles Bo Xilai chefe regional antes cotado para assumir um cargo nacional de primeiro escalão. Acusado de corrupção, ele foi expulso do Parlamento e afastado da cúpula do partido depois que sua mulher, Gu Kailai, ter sido condenada pelo assassinato de um empresário britânico .

O caso que envolve o primeiro-ministro Wen Jiabao veio a público depois que o jornal The New York Times publicou uma reportagem afirmando que sua família acumulou uma fortuna de 2,7 bilhões de dólares em “riquezas ocultas”. O regime chinês classificou a notícia como caluniosa e censurou o jornal depois da matéria.

(Com Agência Reuters)