Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Vulcão Cumbre Vieja, em erupção há um mês, não dá sinais de cessar

Quase 7.000 pessoas já tiveram que evacuar suas casas, mas não houveram mortos nem feridos graves

Por Da Redação Atualizado em 19 out 2021, 21h10 - Publicado em 19 out 2021, 20h13

O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, nas Ilhas Canárias, Espanha, começava, há um mês, a mostrar os primeiros sinais de atividade. E ainda não parou. Até o momento, rios de lava tomaram quase 800 hectares de terra, destruíram cerca de 2.000 edifícios e muitas plantações.

Cerca de 7.000 pessoas tiveram que evacuar suas casas, mas graças ao rápido serviço de resgate local, não foram registrados ferimentos graves nem mortes. As autoridades ainda não sabem até quando o fenômeno durará. As previsões afirmam que o tempo estimado em atividade seria entre 24 e 84 dias. 

“Não há sinais de que o fim da erupção seja iminente, embora este seja o maior desejo de todos”, disse o presidente das Ilhas Canárias, Angel Víctor Torres. “Estamos à mercê do vulcão. É o único que pode decidir quando isso acaba”, acrescentou. 

No último fim de semana, o Instituto Geográfico Nacional da Espanha reportou mais de 45 tremores de terra, que chegaram até 4,3 na escala Richter e 37 km de profundidade. As erupções vulcânicas também aumentaram as atividades sísmicas na região, que acontecem quase diariamente.

O aeroporto de La Palma chegou até a ser fechado, devido às nuvens de cinzas do vulcão, mas já foi reaberto. Nesta segunda-feira, 19, a altura da coluna de cinzas e gás medida foi de 4.000 metros. O governo recomendou o uso de máscaras PFF2 para as pessoas que tivessem que sair de casa. 

A maior preocupação das autoridades e cientistas locais no momento é que as lavas cheguem ao mar, pois gases tóxicos podem ser liberados nesta mistura. A área de Tazacorte está com altas medidas de proteção, uma vez que as lavas na região estão a quase 200 metros do mar. 

As plumas de dióxido de enxofre liberadas pelas erupções já atingiram 21 000 toneladas por dia, e alcançaram o Caribe, norte da África, Portugal e Espanha. 

Continua após a publicidade

Publicidade