Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Violência tribal no Quênia deixa ao menos 30 mortos

Mais de 100 pessoas já morreram em conflitos entre comunidades rurais

Por Da Redação 21 dez 2012, 08h35

Pelo menos 30 pessoas morreram nesta sexta-feira em um ataque em uma aldeia da região do rio Tana, no sudeste do Quênia, em uma área onde a violência tribal já deixou mais de 100 vítimas fatais entre agosto e setembro, informou um funcionário policial local. De acordo com diversas fontes policiais, o ataque ocorreu na aldeia de Kipao, e provocou o terror entre seus habitantes.

“O ataque ocorreu durante a noite; há 19 mortos entre os habitantes da comunidade local, e nove entre os atacantes, que são de outra comunidade”, disse Antony Kamitu, chefe das forças especiais da polícia mobilizadas na zona desde o início da violência, em meados deste ano.

Em agosto e setembro, mais de 100 pessoas morreram pela violência entre comunidades rivais que vivem ao longo do rio Tana: os Orma, criadores de gado, e os Pokomo, agricultores em sua maioria. As tensões entre as duas comunidades se reavivaram nos últimos dias, quando já estava em andamento uma operação de desarmamento.

“Houve tensão nos dois últimos dias após uma ordem para que as comunidades entregassem suas armas, e alguns consideram que o governo é indulgente com uma das partes”, afirmou uma fonte policial.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade