Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Violência no Senegal após anúncio do conselho constitucional

Confrontos violentos explodiram na noite desta sexta-feira em Dakar entre jovens opositores e policiais, depois de o Conselho Constitucional publicar a lista de candidatos admitidos para a eleição presidencial de fevereiro, constatou um jornalista da AFP.

Depois do anúncio da validação da candidatura do presidente Abdoulaye Wade e da rejeição do cantor e opositor Youssou Ndour, jovens reunidos horas antes em uma praça de Dakar, convocados pela oposição, lançaram pedras contra a polícia, que respondeu com bombas de gás lacrimogêneo.

O Conselho Constitucional validou nesta sexta-feira a candidatura do presidente senegalês Abdoulaye Wade para um terceiro mandato, mas rejeitou a da estrela internacional Youssou Ndour, segundo uma lista apresentada no Conselho e vista por um jornalista da AFP.

A candidatura dos três ex-premiês do presidente Wade, agora opositores, Idrissa Seck, Macky Sall e Moustapha Niasse, assim como da líder do Partido Socialista (PS, oposição), Ousmane Tanor Dieng, foram validadas.

Os jovens incendiaram pneus durante os confrontos e os policiais os perseguiram nas ruas adjacentes à Praça do Obelisco.

Um jornalista da AFP que estava entre um grupo de manifestantes foi atingido no rosto por um policial.

A manifestação de milhares de opositores na Praça do Obelisco, convocada pelo Movimento de 23 de junho (M23) e que reunia partidos políticos e organizações da sociedade civil, era realizada sem incidentes desde o meio-dia.

Inicialmente proibida pelo governo, e finalmente autorizada, tinha por objetivo “organizar a resistência contra o golpe de Estado constitucional” que significa, segundo o M23, a validação da candidatura de Wade, que se apresenta para um terceiro mandato.