Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Violência atinge Nigéria após resultados do pleito

Presidente cristão foi reeleito em primeiro turno, mas maioria muçulmana protesta contra vitória

Por Da Redação 18 abr 2011, 16h18

Depois de observadores internacionais terem declarado que a eleição em curso na Nigéria é a mais justa das últimas décadas, o otimismo deu lugar à brutalidade. Diversas cenas de violência foram registradas nas últimas horas no norte do país, em protesto pelo resultado do pleito presidencial. Dados divulgados nesta segunda-feira pela comissão eleitoral atestaram a reeleição de Goodluck Jonathan com 22 milhões de votos. Ele é um cristão do sul e governa o país de maioria muçulmana.

Após a divulgação dos primeiros resultados preliminares, a imprensa local informou nesta segunda-feira que uma multidão rodeou a prisão de Zaria, ateou fogo no edifício e obrigou os guardas a libertar os presos. O governo impôs um toque de recolher durante o dia todo no estado de Kaduna (centro-norte), onde fica a prisão, e mobilizou agentes de segurança para dispersar os manifestantes. Os distúrbios se estenderam a outros estados do norte do país, de maioria muçulmana. Além disso, a residência privada do vice-presidente da Nigéria, Namadi Sambo, foi atacada nesta segunda por vários manifestantes.

As forças de segurança detectaram os primeiros protestos nos estados de Bauchi e Gombe, nas quais pelo menos 10 pessoas morreram e vários edifícios e carros foram incendiados. Mais tarde, no estado de Sokoto, as autoridades se viram obrigadas a mobilizar agentes armados para dispersar uma multidão que tinha ateado fogo em várias casas e edifícios. A capital nigeriana, Abuja, também foi palco de alguns episódios violentos.

Resultados – Membros do Congresso para a Mudança Progressista (CPC, em inglês) e o ex-chefe de Estado e candidato à Presidência Muhammadu Buhari contestaram os resultados em vários estados do país, alegando que os números oferecidos não eram compatíveis com a quantidade de eleitores.

Segundo os resultados completos anunciados nesta segunda-feira pela comissão eleitoral Jonathan venceu a eleição presidencial em primeiro turno com mais de 22 milhões de votos em todos os 36 Estados mais a capital. Buhari, seu principal oposicionista, teve cerca de 12 milhões de votos. Como os votos de Jonathan somam mais de 25% dos votos em pelo menos três quartos dos Estados do país – requisito para se evitar um segundo turno – ele já foi reeleito presidente. O chefe da comissão eleitoral, porém, ainda não declarou oficialmente Jonathan como vencedor.

(Com agência EFE e Estado)


Continua após a publicidade
Publicidade