Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vídeo que mostra tratamento de imigrantes em Lampedusa choca Itália

“Parece um campo de concentração”, diz prefeita de ilha que serve de porta de entrada para refugiados africanos e árabes

Um vídeo que mostra o tratamento dispensado a um grupo de imigrantes ilegais no centro de acolhida da ilha italiana de Lampedusa causou indignação na Itália e uma reação no meio político. As imagens, veiculadas pelo canal Rai 2 na noite de segunda-feira, mostram estrangeiros nus – sem nenhuma privacidade – tendo que aguardar no frio por uma espécie de tratamento de pulverização para combater a sarna. (Continue lendo o texto)

A ilha, localizada perto da costa africana, é uma das principais vias de passagem de dezenas de imigrantes ilegais que cruzam o Mediterrâneo e ganhou notoriedade neste ano com o naufrágio que resultou na morte de mais de 350 imigrantes, um episódio que chamou a atenção para a crise humanitária que ocorre nas fronteiras da Europa.

O vídeo que colocou a ilha mais uma vez no noticiário foi registrado por um imigrante sírio no dia13 de dezembro. À Rai ele contou que as “sessões” de desinfecção ocorrem todas as semanas da mesma maneira e que os imigrantes são sempre tratados como “animais”.

Leia também:

Guarda Costeira da Itália resgata 105 refugiados sírios

Traficantes torturaram imigrantes em barco que naufragou perto da Itália

Quatro mergulhadores são indiciados por furtos no Costa Concordia

Entrevistada na mesma reportagem, a prefeita de Lampedusa, Giusy Nicolini, disse que as imagens lembram um “campo de concentração”. Desde o trágico naufrágio, Nicolini tem se manifestado contra as autoridades federais da Itália – responsáveis pelo campo -, a quem ela acusa de omissão na condução do problema da imigração na região e de ignorar os problemas da população da ilha.

Após a divulgação, o primeiro-ministro italiano, Enrico Letta, disse que ficou “impactado” com as imagens e prometeu uma profunda investigação, além de afirmar que o governo puniria os responsáveis pelo centro de acolhida. Já a presidente da Câmara dos Deputados, Laura Boldrini, emitiu uma nota na terça-feira em que afirma que as imagens de “homens e mulheres nus no lado de fora no meio do inverno” são “indignas de um país civilizado”.

Nesta quarta-feira, a Comissão Europeia denunciou as “condições espantosas” de muitos centros italianos de imigrantes, incluindo os da ilha de Lampedusa, e ameaçou Roma com sanções. “Já iniciamos investigações sobre as espantosas condições em muitos centros de detenção italianos, incluindo Lampedusa. Não hesitaremos em abrir um procedimento de infração”, escreveu a comissária para Assuntos Internos, Cecilia Malmstrom, no microblog Twitter.