Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Venezuela: Parlamento suspende sessão após Justiça chavista anular suas ações

O Tribunal Supremo de Justiça – controlado por magistrados chavistas – declarou nulas as decisões do Legislativo devido à posse de três deputados impugnados pelo governo

Por Da Redação 12 jan 2016, 13h42

O Parlamento venezuelano de maioria opositora suspendeu nesta terça-feira suas sessões ordinárias argumentando falta de quórum, depois da decisão judicial da véspera que anulou todas suas decisões por ter incorporado três deputados impugnados pelo governo. Depois de verificada a ausência de quórum duas vezes, o presidente do legislativo, o deputado opositor Henry Ramos Allup, suspendeu a sessão e a convocou para quarta-feira, às 10h30 local (13h00 de Brasília).

Na véspera, o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela – controlado por magistrados chavistas – declarou nulas as decisões do Legislativo devido à posse de três deputados impugnados pelo governo, agravando a crise política no país. A Sala Eleitoral do TSJ considerou “totalmente nulos os atos da Assembleia Nacional que tenham sido ditados, ou que forem ditados, enquanto se mantiver a incorporação dos parlamentares de oposição questionados”, apontou a sentença.

Leia também

Justiça da Venezuela anula decisões do novo Parlamento

Parlamento da Venezuela começa a discutir anistia de presos políticos

Continua após a publicidade

O TSJ também declarou em desacato os três deputados e a direção do Parlamento, integrada totalmente pela oposição. Os políticos opositores reagiram, afirmando que seus 112 parlamentares deputados continuarão atuando O número dois do chavismo, Diosdado Cabello, afirmou nesta segunda-feira que nenhum poder público é obrigado a reconhecer o Legislativo após a decisão do STJ de anular os atos da Assembleia.

Juízes sob suspeita – Também nesta segunda, a Assembleia Nacional estabeleceu uma comissão parlamentar para investigar a designação de juízes do TSJ encarregados de decidir sobre as impugnações apresentadas contra os três deputados da oposição. Treze magistrados foram designados para o TSJ em 23 de dezembro. Nos dias 28 e 29 do mesmo mês – uma semana antes da instalação do novo Parlamento – eles admitiram os pedidos de impugnação contra os deputados eleitos, apresentados pelo governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). A oposição criticou a decisão e acusou os juízes de agirem sob as ordens do governo chavista.

Leia mais

Impugnação de deputados pode enfraquecer maioria opositora

Oposição venezuelana quer anistia de presos políticos e saída antecipada de Maduro

(Da redação)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês