Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vaticano recomenda: em Sé Vacante, não se fala em papa

Padres deixam de evocar o pontífice em suas missas até que novo ‘bispo de Roma’ esteja escolhido

Por Gabriela Loureiro, de Roma 2 mar 2013, 10h42

Durante a Sé Vacante, quando não há um pontífice no comando do Vaticano, os sacerdotes da Igreja Católica não podem mais evocar o papa em suas missas, informou neste sábado o porta-voz do Vaticano, Padre Federico Lombardi. Sinônimo de referência ao papa, como “bispo de Roma”, também não devem ser usados.

TEMA EM FOCO: A renúncia de Bento XVI

Em coletiva de imprensa neste sábado, na qual Lombardi se referiu ao papa emérito como ‘cardeal Ratzinger’, foi indicado um livro de poesias de João Paulo II, ‘Roman Triptych’ (Tríptico Romano), para ser lido durante o conclave – a escolha, por parte dos membros do Colégio Cardinalístico com menos de 80 anos, do próximo pontífice.

Em uma parte do livro, João Paulo II fala sobre o conclave e faz referência à Capela Sistina, onde ocorre o encontro. “É aqui, aos pés dessa maravilhosa profusão de cores da Sistina que os cardeais se encontram. E mais uma vez, Michelangelo os envolve em sua visão”. Curiosamente, a introdução do livro de João Paulo foi escrita por Bento XVI. Nela, o agora papa emérito lembra do conclave de 1978.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM:

Cardeais começam a se reunir na segunda-feira para o conclave

Entrevista: ‘Papa não tem que ser super-homem’, diz presidente da CNBB

Saiba mais:

Saiba mais: Brasileiro que participará de conclave diz não haver favoritos

Continua após a publicidade
Publicidade