Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Várias estudantes sequestradas pelo Boko Haram são resgatadas

Jovens foram levadas pelos terroristas na última segunda, durante ataque à cidade de Dapchi, na Nigéria

Por Da redação 22 fev 2018, 10h46

As Forças Armadas da Nigéria resgataram várias das estudantes sequestradas durante ataque do grupo terrorista Boko Haram a um vilarejo na última segunda-feira, anunciaram nesta quinta-feira as autoridades locais.

Segundo informações obtidas pela agência Reuters, 76 alunas foram resgatadas. Os corpos de outras duas jovens também foram recuperados, porém ainda não se sabe como elas morreram.

“Todos estão comemorando a chegada com canções e agradecimentos a Deus”, afirmou Babagana Umar, cuja filha havia desaparecido, à Reuters. “A única notícia triste é que duas meninas estavam mortas.”

As estudantes foram sequestradas na noite da última segunda-feira, quando membros do Boko Haram atacaram a cidade de Dapchi, no estado de Yobe, fortemente armados. Eles invadiram a Girls Science Secondary School, um colégio feminino, e levaram ao menos 90 meninas.

Muitas estudantes e professoras fugiram durante o ataque com medo de serem sequestradas, como o que aconteceu com as alunas de Chibok, no estado vizinho Borno, há quatro anos. Segundo testemunhas, os terroristas atiraram para o alto e jogaram granadas para assustar os moradores do vilarejo e as alunas.

Continua após a publicidade

As autoridades locais ainda não revelaram ao certo quantas estudantes de Dapchi ainda estão desaparecidas, porém estima-se que pelo menos 13 jovens ainda estejam sob o poder do Boko Haram.

Uma fonte militar de Maiduguri, capital do estado de Borno, declarou à agência AFP que as estudantes resgatadas nesta quinta foram encontradas na fronteira entre os estados de Yobe e Borno. Segundo as primeiras informações obtidas, elas foram deixadas para trás pelos terroristas após o veículo em que eram transportadas quebrar.

“As garotas foram abandonadas com o veículo. Ele parou de funcionar e os terroristas entraram em pânico com medo de serem perseguidos pelos soldados”, afirmou a fonte. “Nosso medo é que outras meninas tenham sido levadas, porque não havia um único carro (…) Apenas aquelas que estavam no veículo que quebrou tiveram sorte”, acrescentou.

O grupo Boko Haram realiza desde 2009 uma insurreição violenta no nordeste da Nigéria, que deixou mais de 20.000 mortos e 2,6 milhões de deslocados. Seus milicianos sequestraram milhares de pessoas, incluindo mulheres e crianças.

O sequestro de 276 estudantes na cidade de Chibok em 2014 provocou uma onda de indignação mundial. Muitas delas conseguiram fugir ou foram libertadas como parte de um acordo com o governo, mas 112 ainda continuam retidas.

(Com Reuters e AFP)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês