Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Uruguai deixa ‘lista cinza’ de paraísos fiscais da OCDE

Paris, 15 diz (EFE).- A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) anunciou nesta quinta-feira que o Uruguai aplicou todas as medidas necessárias para deixar a chamada ‘lista cinza’ de paraísos fiscais, segundo um comunicado da própria organização.

‘O Uruguai está melhorando seus níveis de transparência fiscal’, declarou o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, que destacou que as autoridades do país sul-americano mostraram disposição ao adotar as normas internacionais.

A OCDE também destacou que o Uruguai assinou sete novos acordos sobre troca de informação fiscal, os quais mostram que o Uruguai ‘avançou substancialmente para alcançar o padrão internacional’.

As medidas adotadas pelo Uruguai foram aplicadas depois de um relatório entregue pelo Fórum Global de Transparência Fiscal e Troca de Informação, que foi realizado durante a Cúpula do G20, em Cannes, na França.

Na ocasião, as autoridades da organização mencionaram que o Uruguai ainda tinha que ‘abordar uma série de questões para alcançar uma troca efetiva de informações’.

‘As medidas adotadas indicam que o Uruguai se comprometeu em se aproximar rapidamente em direção à total transparência e a troca efetiva de informação’, declarou Gurría, que, além de ter felicitado o Governo uruguaio por ter acatado as recomendações do Fórum Global, os encorajou a adotar os padrões globais em sua totalidade.

Sediada em Paris, a organização também manifestou que o Fórum Global continuará acompanhando os avanços do Uruguai e ‘o compromisso do país para em direção à completa transparência e a troca efetiva de informação em matérias fiscais’.

Em novembro, depois da cúpula do G20, o Governo uruguaio reprovou o Governo francês depois que seu presidente, Nicolas Sarkozy, denominasse o país sul-americano de ‘paraíso fiscal’, em um discurso na reunião.

Após as críticas do Governo uruguaio, as autoridades francesas explicaram que o comentário de Sarkozy não tinha sido uma referência exclusiva ao Uruguai, mas a todos os países da lista publicada no final do mês de outubro pela OCDE.

Nesta lista, a OCDE acusou o Uruguai, Panamá, Antígua e Barbuda, Barbados, Brunei, Botsuana, Seicheles, Trinidad e Tobago e Vanuatu de não passar o primeiro filtro fixado pelo Fórum Global sobre a Transparência Fiscal. EFE