Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ucrânia afirma ter sofrido maior ataque cibernético de sua história

Moscou nega autoria do incidente e diz que Kiev 'continua culpando a Rússia por tudo'

Por Duda Gomes 16 fev 2022, 18h44

Os sites do Exército e do Ministério da Defesa da Ucrânia sofreram ataques cibernéticos nesta quarta-feira, 16, de acordo com agências governamentais do país. Na terça-feira, os dois maiores bancos ucranianos também foram atacados.

Autoridades do país afirmam que este já pode ser considerado o maior ataque da história na Ucrânia e que há “vestígios de serviços de inteligência estrangeiro”, mas “ainda é muito cedo para atribuir” responsabilidade ao incidente.

“Está claro que foi preparado com antecedência, e o objetivo principal deste ataque é desestabilizar, semear o pânico, fazer de tudo para criar um certo caos nas ações dos ucranianos em nosso país”, disse o ministro da transformação digital da Ucrânia, Mykhailo Fedorov.

Os possíveis ataques estrangeiros acontecem em meio ao anúncio de recuo de tropas russas e o subsequente ceticismo de líderes ocidentais. Os Estados Unidos e a Otan, principal aliança militar ocidental, voltaram a cobrar da Rússia garantias da retirada de soldados, algo que dizem não ser cumprido. 

Embora ainda não existam provas concretas sobre a autoria do ataque, e não citar culpados nominalmente, Kiev acredita que a Rússia seria o único país com interesse em realizá-lo.

“Sabemos hoje que, infelizmente, o único país que está interessado em tais ataques ao nosso país, especialmente no contexto de pânico em massa sobre uma possível invasão militar, é, infelizmente, a Federação Russa”, afirmou Ilya Vityuk, chefe do Departamento de Segurança Cibernética da Agência de Inteligência Ucraniana.

Moscou negou a responsabilidade pelo ataque.

“Não sabemos nada sobre isso, mas não estamos surpresos que a Ucrânia continue culpando a Rússia por tudo”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. “A Rússia não tem nada a ver com nenhum ataque”.

O caso foi identificado como um ataque distribuído de negação de serviço, que interrompe o acesso dos sites com tráfego falso. Autoridades do governo ucraniano “continuam monitorando e cortando” os endereços do Protocolo de Internet usados pelos hackers.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês