Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ucrânia acusa russos de violar acordo e invadir seu território

Comboio de caminhões que, segundo Moscou, transportam bens de ajuda humanitária está entrando na Ucrânia sem a inspeção previamente acordada

Por Da Redação 22 ago 2014, 08h36

A Ucrânia informou nesta sexta-feira que caminhões russos que, segundo a Rússia, transportam bens de consumo de ajuda humanitária entraram em território controlado pelos rebeldes ucranianos sem serem acompanhados pela Cruz Vermelha (CV), em violação a um acordo firmado em Berlim entre Kiev e Moscou. “Consideramos isso uma invasão direta da Ucrânia pela Rússia”, disse o chefe de segurança nacional ucraniano, Valentyn Nalivaychenko, em uma declaração a jornalistas ucranianos.

Fontes da CV afirmaram que apenas o conteúdo de 34 caminhões foi verificado na noite de quinta por guardas de fronteira e funcionários da alfândega da Ucrânia e da Rússia, com representantes da entidade humanitária como testemunhas. O comboio, composto por mais de 260 caminhões que, segundo Moscou, transporta 2.000 toneladas de produtos como água, comida e remédios, permaneceu durante uma semana a poucos quilômetros da fronteira com a Ucrânia, na região de Rostov, à espera de que Moscou e Kiev resolvessem suas diferenças.

Leia também

Em retaliação aos EUA, Rússia fecha quatro unidades do McDonald’s

Bandeira ucraniana é hasteada em arranha-céu de Moscou

Continua após a publicidade

Míssil lançado por rebeldes atinge comboio de refugiados

Ucrânia avança para conter rebeldes – e Rússia envia reforços

A Ucrânia questionou a Rússia sobre o cumprimento do acordo de fiscalização dos caminhões, firmado entre os chanceleres de Moscou e Kiev, mas os russos se recusaram a responder, disse o coronel Lysenko. A atitude que a Ucrânia vai tomar em relação ao comboio não está clara, mas o Lysenko afirmou que o Ministério de Relações Exteriores da Ucrânia deve publicar uma declaração sobre a situação “em breve”.

A Cruz Vermelha confirmou que parte do comboio da Rússia já se encontra na Ucrânia, mas informou que seus delegados não estão acompanhando o deslocamento dos caminhões por questões de segurança. A entidade informou também que “não recebeu garantias de segurança suficientes dos combatentes”, e que sua própria equipe, que se encontra na região, verificou que durante a noite de quinta para sexta ocorreram intensos combates.

De acordo com Moscou, a maior parte da ajuda será enviada para Lugansk, onde estão se concentrando os enfrentamentos durante as últimas semanas. Os combates destruíram a infraestrutura local, o que deixou a população sem água e energia. A cada dia são registrados dezenas de mortos e feridos. Após uma semana de tensões diplomáticas, a Rússia anunciou nesta quinta que seu comboio entraria no país vizinho mesmo sem a autorização do governo.

(Com Estadão Conteúdo e agências Reuters e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade