Clique e assine a partir de 8,90/mês

TV russa classifica campanha de Hillary Clinton para maiores de 18

Por reproduzir cena com casal homossexual, emissora temia penalidade prevista em lei de propaganda anti-gay aprovada por Vladimir Putin em 2013

Por Da Redação - 14 abr 2015, 18h24

O canal de televisão russo TV Rain exibiu o primeiro vídeo da campanha de Hillary Clinton para presidência dos Estados Unidos com um selo de classificação etária: o aviso, aparente no canto superior da tela, indicava que a peça não era recomendada para menores de 18 anos de idade. Tudo por causa de uma cena em que dois homens aparecem de mãos dadas. A emissora temeu que a reprodução do vídeo a expusesse às penalidades previstas na lei de propaganda anti-gay do país.

O canal russo informou à CNN que incluiu a advertência por medo de quebrar a controversa lei russa que proíbe “propaganda de relações sexuais não tradicionais na presença de crianças” e impede a discussão de direitos e relacionamentos homossexuais na frente de menores. “Não existem precedentes legais para essa lei, então não sabemos o que se enquadra nessa lei ou não”, disse um porta-voz da TV Rain, se referindo também a grande audiência da emissora.

Leia também:

Retrato íntimo de casal gay russo ganha prestigiado concurso internacional

Rússia proíbe transsexuais de dirigir

Olímpiadas de Inverno de 2014

O presidente americano Barack Obama declarou na época que considerava a legislação ofensiva. “Eu não tenho paciência com países que tratam gays, lésbicas ou transgêneros de formas que os intimida ou fere”, afirmou em entrevista a rede americana NBC. Putin defendeu a aprovação da medida, apontando que ao contrário de outros países, a Rússia descriminalizou as relações homossexuais em 1993.

O vídeo de Hillary Clinton foi divulgado durante o fim de semana para anunciar oficialmente sua candidatura à presidência dos Estados Unidos nas eleições de 2016. Na produção de pouco mais de dois minutos, a ex-primeira-dama diz que quer ser “a campeã que os americanos precisam”. Durante as cenas, aparecem cidadãos latinos, negros, mães solteiras e casais homossexuais.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade