Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Turquia aprova entrada de Finlândia e Suécia à Otan

Anteriormente, o governo afirmou estar disposto a bloquear os pedidos dos países a menos que recebesse garantias satisfatórias a respeito dos curdos

Por Matheus Deccache 28 jun 2022, 18h04

A Turquia concordou em apoiar a adesão conjunta de Finlândia e Suécia à Otan, disse o presidente finlandês, Sauli Niinistö, nesta terça-feira, 28, no primeiro dia da cúpula da Aliança realizada em Madri, na Espanha. 

Segundo o presidente, o avanço ocorreu depois que os líderes dos três países assinaram um memorando conjunto para “estender seu total apoio contra ameaças à segurança um do outro”. A afirmação foi confirmada pelo secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, e pelo governo turco em declarações separadas após reunião entre Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, e Magdalena Andersson, primeira-ministra da Suécia, além de Stoltenberg e Niinistö.

+ Ação da Otan na Crimeia pode levar a Terceira Guerra Mundial, diz Rússia

Com a resolução, o secretário-geral disse que os 30 estados-membros irão convidar oficialmente Finlândia, que compartilha uma fronteira de mais de 1.300 quilômetros com a Rússia, e Suécia, para fazerem parte da Aliança. O acordo para que as nações pudessem se tornar membros da Otan veio em tempo recorde e representa uma grande vitória contra os russos, que agora não terão mais a superioridade militar no Mar Báltico. 

Os líderes escandinavos expressaram otimismo nesta terça-feira diante da possibilidade de chegar a um acordo com Erdogan, que manteve mais de duas horas de conversa com eles e Stoltenberg logo após desembarcar em Madri. 

Continua após a publicidade

Até a última segunda-feira, 27, o governo da Turquia disse que estaria disposto a bloquear os pedidos de Suécia e Finlândia, a menos que recebesse garantias satisfatórias de que as nações estariam dispostas a abordar o que considera apoio aos grupos curdos que são designados como organizações terroristas pelo país. 

Em resposta, a primeira-ministra sueca enfatizou que seu governo condena o terrorismo em todas as suas formas e que o Partido dos Trabalhadores Curdos foi reconhecido como um grupo terrorista em seu país. 

O acordo com a Turquia era fundamental para a adesão das nações escandinavas na Otan, uma vez que todos os membros do bloco militar devem concordar em aceitar novos integrantes. Desse modo, outros países da Aliança, como Espanha e França, instaram indiretamente os turcos a permitir a adesão. Durante a cúpula do G7 na Alemanha, o presidente francês, Emmanuel Macron, pediu uma mensagem de “força e união” da Otan em Madri.

+ Otan irá colocar mais de 300 mil soldados em estado de alerta máximo  

Além da questão envolvendo Suécia e Finlândia, a Cúpula de Madri, que irá durar até o dia 30, também irá discutir a guerra na Ucrânia e o novo conceito estratégico da Aliança, que prevê colocar mais de 300.000 soldados em alerta máximo. 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)