Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Tunísia: governo diz que mesma arma foi usada para matar dois opositores

Ministro aponta grupo salafista ligado à Al Qaeda como responsável pelos crimes

Por Da Redação
26 jul 2013, 22h47

O governo da Tunísia afirmou nesta sexta-feira que o opositor Mohamed Brahmi foi morto com a mesma arma usada para assassinar Chokri Belaid, outro político secular, em fereveiro deste ano. “A mesma pistola semiautomática 9 milímetros que matou Belaid também matou Brahmi. Não uma arma do mesmo tipo, mas a mesma arma”, reforçou o ministro do Interior, Lotfi Ben Jeddou, em uma entrevista coletiva transmitida ao vivo pela TV estatal.

O ministro apontou como principal suspeito Boubaker Hakim, salafista que já é procurado pela acusação de contrabandear armas da Líbia, informou a rede britânica BBC. Ele faria parte do mesmo grupo que teria orquestrado o assassinato de Belaid, o Ansar al Sharia, conhecido por ter conexões com a Al Qaeda. Os salafistas são adeptos da interpretação radical do Islã e conhecidos por impor sua ideologia com violência.

A morte de Brahmi desencadeou protestos contra o governo liderado pelo Ennahda, acusado de não combater o crescimento do islamismo radical no país. Milhares de pessoas voltaram às ruas da capital nesta sexta, enquanto lojas e bancos ficaram fechados e todos os voos que chegavam e saíam da Tunísia foram cancelados, atendendo à convocação de uma greve geral.

O Ennahda condenou as mortes e acusou os responsáveis de tentar atrapalhar a transição para a democracia. Aliados do partido também fizeram um protesto defendendo a legitimidade do governo.

Ontem, a polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar protestos em várias cidades. Em Sidi Bouzid, berço da revolta que derrubou o ditador Zine El Abidine Ben Ali, em 2011, e cidade natal de Brahmi, escritórios do Ennahda foram atacados.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.