Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Tufão ‘Roke’ causa quatro mortes e deixa Japão em alerta

Fenômeno deve atingir nesta quarta a capital Tóquio e a região de Fukushima, que abriga usina nuclear danificada pelo terremoto e tsunami de março passado

Por Da Redação 21 set 2011, 04h26

Pelo menos quatro pessoas morreram e duas estão desaparecidas no Japão pelos ventos e chuvas torrenciais provocados pelo tufão ‘Roke’, que forçou a retirada de seis mil pessoas e deixou até o momento mais de oito mil casas sem eletricidade.

Por volta das 11h locais (23h de Brasília), ‘Roke’ se encontrava perto da península de Kii e avançava rumo ao nordeste a 35 km/h, arrastando fortes chuvas e ventos de até 216 km/h.

Um porta-voz da Agência Meteorológica do Japão, que mantém o alerta em praticamente todo o país, indicou que o tufão deverá chegar a Tóquio por volta das 18h e posteriormente continuar em direção nordeste. Às 21h, ‘Roke’ deverá se aproximar da província de Fukushima, afetada pela catástrofe de 11 de março e onde se encontra a danificada usina nuclear.

Segundo a televisão pública NHK, até o momento há 5.846 pessoas evacuadas em várias províncias do país, enquanto as autoridades recomendaram a mais de 1 milhão que abandonassem suas casas por precaução.

Os fortes ventos e chuvas que precederam o tufão causaram na terça-feira a morte de um pescador de 71 anos na província de Saga, enquanto outro homem de 66 anos faleceu em Nagóia ao cair do terraço de um edifício. Além disso, dois homens foram arrastados pela crescente de dois rios em Nagóia e Ehime, enquanto uma criança de dez anos e um idoso de 84 estão desaparecidos na província de Gifu.

Até as 10h, havia em todo o país mais de 800 casas inundadas, enquanto 8.736 imóveis em seis das 47 províncias do Japão tinham sofrido cortes de luz. As companhias aéreas anunciaram o cancelamento de 278 voos nacionais nesta quarta-feira por causa de ‘Roke’, que também provocou a suspensão de serviços ferroviários em todo o arquipélago.

‘Roke’ é o segundo tufão que afeta o Japão em poucas semanas, depois que no início deste mês ‘Talas’ deixou mais de 100 vítimas, entre mortos e desaparecidos, e danos no valor de 53,4 bilhões de ienes (511 milhões de euros).

(com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade