Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Tufão Nesat deixa 5 mortos e 4 desaparecidos nas Filipinas

Governo filipino contabiliza milhares de pessoas desabrigadas em todo o país

Por Da Redação 27 set 2011, 05h42

Pelo menos cinco pessoas morreram, quatro desapareceram e centenas de milhares tiveram de recorrer a abrigos nesta terça-feira por causa das inundações e dos fortes ventos provocados pelo tufão Nesat no norte das Filipinas, informaram fontes oficiais.

O Centro Nacional de Prevenção de Desastres indicou que um bebê morreu após ser arrastado por um rio que transbordou na província de Cataduanes. A rádio oficial filipina informou que uma avó e seus três netos morreram no interior de um barraco em Manila quando uma árvore caiu sobre a construção. Outras quatro pessoas adultas foram declaradas desaparecidas em diferentes pontos da ilha de Luzon, a principal do norte das Filipinas e onde o Nesat provoca estragos.

O tufão adentrou a ilha de Luzon antes do amanhecer com ventos sustentados de até 140 km/h e rajadas de até 170 km/h, segundo o serviço filipino de meteorologia. “Este tufão é muito largo, com cerca de 650 quilômetros, e cobre a maior parte da ilha de Luzon”, afirmou o secretário de Ciências, Graciano Yumul.

As aulas estão canceladas desde segunda-feira e os organismos oficiais, salvo aqueles envolvidos nas operações de salvamento e assistência aos desabrigados, foram fechados na manhã desta terça. Em Manila, o tufão inundou muitas ruas, deixou amplas áreas da capital sem energia elétrica e o trânsito é impossível em alguns lances pela acumulação de água e árvores que caíram com o vento. As autoridades tinham ordenado a evacuação de 100 mil pessoas na segunda-feira em antecipação à chegada de Nesat.

Segundo o serviço de meteorologia, o tufão causará estragos na ilha de Luzon antes de se deslocar, no final da quarta-feira, ao Mar da China Meridional, possivelmente afetando o sul da China no dia seguinte.

Entre 15 a 20 tufões passam pelas Filipinas cada ano durante a estação chuvosa que, pelo geral, começa em maio e conclui em novembro. Há um mês, Nanmadol, o último tufão que atingiu as Filipinas, deixou o saldo de 35 mortos e mais de 400 mil pessoas afetadas.

(com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade