Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump pede fim da investigação sobre ingerência russa nas eleições

Presidente americano acusa procuradores de comandarem “caça às bruxas” contra seu governo e defende seu ex-chefe de campanha, acusado de fraude fiscal

O presidente Donald Trump pediu nesta quarta-feira (1º) ao procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, que ponha fim à investigação em andamento sobre a suspeita de ingerência da Rússia na eleição presidencial de 2016, da qual saiu-se vencedor na disputa pela Casa Branca.

“É uma situação terrível, e o procurador-geral Jeff Sessions deveria interromper essa caça às bruxas agora mesmo, antes que manche ainda mais nosso país”, tuitou Trump, referindo-se à investigação conduzida pelo procurador especial Robert Mueller.

A investigação busca determinar o alcance da ingerência russa na eleição de 2016 e – o aspecto mais difícil para a Casa Branca – se houve algum tipo de conluio entre funcionários russos e o comitê de campanha de Trump.

Em uma sequência de mensagens, Trump atacou Sessions, Mueller, os agentes que participam da investigação, assim como o processo judicial movido contra o advogado Paul Manafort. Em 2016, Manafort dirigiu a campanha eleitoral republicana por um breve período e, agora, é acusado de fraude fiscal e bancária.

“O conluio da Rússia com a campanha de Trump, uma das mais bem-sucedidas da história, é uma FARSA TOTAL”, tuitou o presidente, enfatizando a expressão em letras maiúsculas.

Sessions sob pressão

Trump alegou que um relatório que, supostamente, estabelece a relação entre Trump e a Rússia foi pago pelo Partido Democrata “e foi usado para começar essa Caça às Bruxas. É uma vergonha!”.

O próprio Sessions se isentou de conduzir essa investigação porque também teve contatos não autorizados com funcionários russos depois das eleições e antes de integrar o governo. Essa recusa de Sessions irritou Trump e também motivou a nomeação de Mueller como procurador especial responsável pelo caso.

Em suas mensagens nesta quarta, Trump lembrou o caso de um agente do FBI e membro da equipe investigadora de Mueller que, antes das eleições, havia enviado uma mensagem para sua namorada afirmando que impediriam a vitória do magnata nova-iorquino.

Para a Casa Branca, o caso desse agente confirma que a investigação de Mueller não passa de uma “caça às bruxas”.

Na segunda-feira (30), pelo Twitter, o presidente sugeriu que Mueller devia se retirar da investigação por causa do “conflito de interesses”.

(Com AFP)