Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Trump é alvo de crítica internacional e da oposição por punir OMS

A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, chama decisão de "perigosa e ilegal"; diretor da OMS expressa decepção com suspensão de repasses dos EUA

Por Da Redação
15 abr 2020, 15h59

Líderes de todo o mundo e autoridades da área da saúde criticaram nesta quarta-feira, 15, a decisão do presidente americano, Donald Trump, de suspender o financiamento da Organização Mundial de Saúde (OMS) em meio à pandemia de coronavírus. O número de casos de contaminação já ultrapassou dois milhões em nível global, com mais de 130.500 mortes, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, expressou pesar com a perda de financiamento. Os Estados Unidos são o principal contribuidor para a organização, destinando mais de 400 milhões de dólares por ano, cerca de 10% do orçamento.

“A OMS não está lutando só contra a Covid-19”, disse Tedros. “Também combatemos a poliomielite, sarampo, malária, Ebola, HIV, tuberculose, desnutrição, câncer, diabetes, saúde mental e muitas outras doenças e condições”.

O presidente americano justificou sua decisão acusando a organização de “severa má administração e encobrimento” da disseminação do coronavírus na China. Trump disse que “muitas mortes foram causadas pelos erros [da OMS]”.

Continua após a publicidade

Nesta quarta-feira, 15, a presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, condenou as ações de Trump, afirmando que “não faz sentido” suspender o financiamento à entidade que lidera a luta global contra a pandemia de coronavírus.

“Só podemos ter sucesso em derrotar essa pandemia por meio de uma resposta internacional coordenada com respeito à ciência e aos dados. Esta decisão é perigosa, ilegal e será rapidamente contestada”, disse a democrata Pelosi. Segundo o jornal americano The New York Times, a líder da Câmara declarou que os democratas do legislativo contestariam a decisão.

Uma série de outros líderes globais também se manifestou contra a decisão do líder americano. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertou que, com a agência de saúde global “na linha de frente” da crise, não é hora de interromper o financiamento. Heiko Maas, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, tuitou que “não adianta procurar por culpados”, pois “o vírus não conhece fronteiras.”

Continua após a publicidade

O jornal britânico The Guardian reporta que um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China pediu que os Estados Unidos respeitassem seu compromisso com a OMS neste momento crítico. Moussa Faki Mahamat, presidente da União Africanaorganização internacional que promove a integração entre os países do continente – chamou a ação de “profundamente lamentável”.

O editor-chefe da revista científica britânica Lancet, uma das mais antigas e prestigiadas publicações da área da Medicina, escreveu que a decisão de Trump foi “um crime contra a humanidade”. “Todo cientista, todo profissional de saúde, todo cidadão deve resistir e se rebelar contra essa terrível traição à solidariedade global”, afirmou Richard Horton.

Continua após a publicidade

A OMS afirmou que vai avaliar o impacto da retirada do financiamento americano e “trabalhar com nossos parceiros para preencher as lacunas financeiras”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.