Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Trump cancela festa em seu hotel na noite de eleição

Presidente ficará na Casa Branca no dia 3 de novembro e mudança de planos não tem motivo aparente; Washington D.C. está preocupada com aglomeração

Por Da Redação 30 out 2020, 17h58

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cancelou nesta sexta-feira, 30, a festa da noite de eleição, onde planejava uma celebração no Trump International Hotel, em Washington, D.C.

Uma autoridade familiarizada com os planos disse ao jornal americano The New York Times que o presidente provavelmente vai ficar na Casa Branca no dia 3 de novembro, para quando está marcado o pleito.

Eric Trump, terceiro filho do presidente, disse em uma entrevista à emissora Fox News que a campanha pretende festejar no próprio Capitólio.

“Estamos pensando em transferi-la [a festa] para a Casa Branca. Estamos analisando isso agora. Vai ser uma grande noite”, disse Eric Trump.

Em Washington D.C., as atuais restrições contra a propagação da pandemia de coronavírus proíbe eventos com mais de 50 pessoas, incluindo convidados e funcionários. Segundo a revista Washingtonian, os convites para a festa de Trump estão esgotados.

A democrata Muriel Bowser, prefeita de Washington D.C., disse na segunda-feira 26 que não estava ciente dos preparativos do Partido Republicano no Trump International Hotel.

Continua após a publicidade

Anteriormente, autoridades da Casa Branca haviam garantido que Trump iria comparecer à festa em seu hotel, e a campanha do republicano enviou convites a doadores sugerindo sua presença.

“O dia 3 de novembro ficará para a história como a noite em que ganhamos QUATRO MAIS ANOS. Será absolutamente ÉPICO, e a única coisa que pode torná-lo melhor é ter VOCÊ lá”, diziam os convites. Abaixo das palavras “Junte-se a nós na noite das eleições” está uma foto de Trump com a primeira-dama Melania Trump.

Não está claro por que os planos mudaram.

Desilusão?

Trump está em desvantagem em relação ao candidato democrata, Joe Biden, nas pesquisas nacionais, embora a disputa esteja mais acirrada em alguns dos estados-chave para uma vitória por Colégio Eleitoral.

Segundo uma pesquisa do Times, em parceria com a Siena College, Biden tem nove pontos de vantagem em relação a Trump. Os únicos estados em que o republicano aparece com vantagem são Ohio, onde supera o democrata por menos de um ponto percentual, e o Texas, onde abre margem de três pontos percentuais.

Na Flórida, estado representativo que costuma indicar o vencedor das eleições presidenciais, Biden tem três pontos de vantagem.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)