Clique e assine com 88% de desconto

Tropas iraquianas matam vice do ex-ditador Saddam Hussein

Izzat Ibrahim al Douri era procurado pelos Estados Unidos desde 2003. Ele foi morto pelas tropas de segurança iraquianas em uma operação ao leste da cidade de Triikt

Por Da Redação - 17 abr 2015, 12h29

As Forças de Segurança do Iraque mataram nesta sexta-feira Izzat Ibrahim al Douri, que foi vice-presidente do ex-ditador Saddam Hussein, na província de Saladino. O governador de Saladino, Raed al Jabouri, explicou que Douri foi morto em uma operação ao leste da cidade de Triikt e que enviaram seu corpo a Bagdá para obter através da análise do DNA a confirmação definitiva de que se trata do “número dois” de Saddam.

Jabouri acrescentou que nos combates com o grupo armado de Douri participaram forças de segurança e milicianos pró-governo. Outros nove integrantes do grupo, que viajava em um comboio de três veículos perto do campo petrolífero de Alas, morreram no combate. O governador ressaltou que é preciso esperar os testes de DNA, mas que pelas fotografias de que dispõem, e que foram divulgadas também na internet, um dos corpos é o de Douri.

Leia também

Terroristas do EI estupraram meninas de até 8 anos no Iraque

Publicidade

Mais de 5.000 europeus se uniram à jihad na Síria e no Iraque

Douri nasceu na cidade de Al Dur, a 25 quilômetros ao norte de Tikrit, em 1942 e ocupou o cargo de vice-presidente durante o mandato de Saddam, retirado do poder após a invasão americana no Iraque em 2003. Durante sua carreira política foi também ministro do Interior e de Agricultura. Desde 2003 estava em paradeiro desconhecido e liderava a resistência contra as forças ocupantes, denominada Exército dos Homens da Confraria Naqsabandiya. Washington mantinha Douri na lista de procurados e oferecia 10 milhões de dólares (30 milhões de reais) de recompensa a quem desse informações que levassem a sua detenção ou morte.

Há duas semanas, Douri pediu em discurso aos líderes árabes para atuarem para conter a ameaça jihadista, a expansão xiita e “a dominação imperialista-sionista”, embora anteriormente tivesse dado seu apoio aos grupos terroristas Estado Islâmico (EI) e Al Qaeda. Em junho de 2014, o Exército iraquiano matou seu filho, Ahmed Izzat alb Douri, durante um bombardeio contra uma reunião de supostos terroristas em Tikrit.

Tikrit, berço de Saddam Hussein, foi recuperada pelas tropas iraquianas após uma longa ofensiva em 31 de março, abrindo o caminho para a libertação do norte do Iraque das mãos do EI.

Publicidade

(Da redação)

Publicidade