Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tropas da Venezuela ocupam casa de acionista da Globovisión

Em 20 de julho, o governo havia comunicado que controlaria 48,5% das ações do canal

A Guarda Nacional da Venezuela ocupou neste domingo a residência de Nelson Mezerhane, acionista da TV Globovisión e dono do Banco Federal, que está sob intervenção do governo. O empresário fugiu para os Estados Unidos em junho. Pouco mais de um mês depois, o presidente Hugo Chávez anunciou que o Estado também controlaria 48,5% das ações do canal oposicionista.

Segundo Magaly Vásquez, advogada de Mezerhane, a residência do banqueiro em Caracas foi “tomada pela Guarda Nacional”, sem que seus representantes legais fossem “informados do motivo”. “Inicialmente, me disseram que haveria uma verificação dos bens de Mezerhane, mas agora há outra situação e proibiram a entrada na casa, que está ocupada por tropas”, disse.

Mezerhane, que é dono e presidente do Banco Federal, fugiu para os Estados Unidos em 14 de junho, dia em que a instituição financeira foi nacionalizada sob a alegação de que enfrentaria uma crise de liquidez. A justiça emitiu uma ordem de prisão contra o banqueiro em 1º de julho. Quinze dias depois, Chávez pediu ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que extraditasse Mezerhane a quem chamou de “um ladrão que fugiu com sete bilhões de bolívares (cerca de U$S 1,6 bilhão), que é o total aproximado dos depósitos dos clientes de seu banco”.

Globovisión – O banqueiro também é acionista da TV Globovisión, que critica abertamente o presidente Chávez. Em 20 de julho, o governo comunicou que controlaria 48,5% das ações do canal – 20% “de um senhor de sobrenome Tenório, que lamentavelmente faleceu, e 28,5% de Nelson Mezerhane, dono do Banco Federal, que está nos Estados Unidos”, disse o caudilho.

O presidente da emissora, Guillermo Zuloaga, que também está foragido, é procurado pela Justiça pelos crimes de “usura” e “formação de quadrilha”. Uma fazenda dele foi ocupada, esta semana. Chávez prometeu ainda intervir nas mais de 300 empresas de Mezerhane para “ressarcir” o prejuízo deixado pelo Banco Federal.

Polêmicas – A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou a intenção de Chávez de controlar quase metade das ações da Globovisión. A polêmica é apenas mais uma na longa lista de situações complicadas nas quais o presidente venezuelano se envolveu recentemente.

Em 22 de julho, a Venezuela rompeu com a Colômbia depois que Bogotá denunciou a presença de 1.500 guerrilheiros em território venezuelano.

O caudilho também iniciou uma briga com a Igreja Católica ao chamar bispos de “trogloditas” e de “homens das cavernas”. As críticas foram feitas dias depois do cardeal Jorge Urosa, arcebispo de Caracas, ter denunciado que o presidente está conduzindo o país ao “socialismo marxista.”

Segundo Chávez, os religiosos estariam “aliados com a oposição diante das próximas eleições legislativas, que serão realizadas em setembro”. Alguns analistas dizem, no entanto, que o próprio Chávez tenta desviar as atenções dos problemas internos do país com a proximidade do pleito.

(Com Agência France-Presse)