Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Tropas da Argélia retomam complexo de In Amenas

Segundo informações das agências internacionais, onze terroristas e sete reféns foram mortos neste sábado

Por Da Redação 19 jan 2013, 12h08

Forças especiais do exército argelino retomaram neste sábado o controle do campo de exploração de gás In Amenas, depois de uma investida final contra os terroristas islâmicos que mantinham reféns estrangeiros no complexo. A ofensiva matou 11 integrantes do grupo fundamentalista Batalhão de Sangue. Em meio à ação, os terroristas teriam executado sete funcionários estrangeiros que eram mantidos reféns, segundo informações ainda não confirmadas das agências internacionais. As vítimas ainda não foram identificadas por autoridades argelinas. “Acabou agora. O ataque acabou e os militares estão no interior da usina limpando-a das minas”, disse uma fonte que participou da operação à Reuters.

A estatal argelina de petróleo e gás Sonatrach também afirmou à agência que os terroristas haviam colocado armadilhas com explosivos no complexo de gás. Na manhã deste sábado, tropas afirmaram ainda ter encontrado 15 corpos queimados na usina. Segundo a Reuters, o exército lidera esforços para identificar os corpos.

Ainda de acordo com a agência, dezesseis reféns estrangeiros foram libertados no sábado – entre eles, dois norte-americanos, dois alemães e um português.

Terror – A ofensiva argelina ocorreu três dias depois da tomada do campo de exploração de gás pela milícia islâmica. Inicialmente, mais de 600 funcionários do campo, de diversas nacionalidades, foram feitos reféns. O sequestro mobilizou governos de vários países, sobretudo depois de uma operação de resgate, na quinta-feira, ter resultado na morte de civis.

Leia também:

CEO da Statoil confirma seis desaparecidos na Argélia

Continua após a publicidade

Reféns relatam cenas de terror em instalação de gás

Exército da Argélia liberta 650 reféns, afirma agência estatal

Líderes africanos se reúnem para definir ajuda ao Mali

Continua após a publicidade
Publicidade