Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Três indígenas e um militar mortos em campo minado pelas Farc na Colômbia

Por Raul Arboleda 19 nov 2011, 17h51

Três indígenas colombianos, dois deles menores de idade, e um militar morreram em um campo minado por guerrilheiros das Farc em uma área rural do departamento (estado) do Tolima (oeste), informou o Exército este sábado.

“Um adulto idoso (75 anos) e seus dois netos, integrantes da comunidade Nasa West, perderam a vida na sexta-feira quando pisaram em duas minas antipessoais em [uma] área rural do município de Planadas. Outros dois indígenas ficaram gravemente feridos” no incidente, disse à AFP uma porta-voz da Quinta Divisão do Exército.

Enquanto isso, um soldado foi assassinado por guerrilheiros quando apoiava os trabalhos de evacuação da comunidade indígena deste local, minado pela quadrilha ‘Alfredo González’ das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), segundo a porta-voz.

O general Henry Torres, comandante da Quinta Divisão, lamentou as mortes dos indígenas e do militar, que considerou uma “clara violação de direito internacional humanitário por parte do grupo narcoterrorista”.

As Farc são a guerrilha mais antiga da América Latina, com 47 anos de luta armada. Atualmente, têm de 8.000 a 9.000 combatentes, segundo o Ministério da Defesa da Colômbia.

Segundo o Programa Presidencial para a Ação Integral contra Minas Antipessoais, durante 2010 houve na Colômbia 512 vítimas de minas antipessoais e de 1990 até setembro deste ano houve morreram no total 9.532 pessoas por este tipo de armamento.

Os números só são superados pelo Afeganistão.

Continua após a publicidade

Publicidade