Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trem atropela ônibus escolar na Índia e 19 morrem

Entre as vítimas estão o motorista e dezoito crianças. Há menores internados em estado grave e o número de vítimas pode aumentar

Um trem atropelou um ônibus escolar no sul da Índia nesta quinta-feira, matando ao menos dezoito crianças e o motorista, informa a BBC citando a polícia local. O ônibus atravessava uma linha férrea em um cruzamento sem cancela no estado de Telangana, no centro do país, sem ter parado para checar se a travessia era segura, disse Anil Kumar Saxena, porta-voz da Indian Railways

A polícia comunicou que o ônibus transportava 32 crianças, doze das quais morreram na hora. Outras sete morreram em um hospital próximo, onde algumas continuam internadas em estado grave. “Os médicos dizem que elas perderam muito sangue”, disse um policial que não quis se identificar, pois não estava autorizado a falar com a imprensa.

Leia também

Choque de trens na Índia deixa pelo menos 40 mortos e mais de 150 feridos

A rede ferroviária indiana, uma das maiores do mundo, tem graves deficiências de segurança, mas continua sendo o principal meio de transporte para percorrer grandes distâncias no país, apesar da concorrência das companhias aéreas. A colisão em Jalilabad é a mais recente na envelhecida infraestrutura da Índia. Narendra Modi, que nesta segunda-feira deve assumir o cargo de primeiro-ministro do país, disse que cuidar das ferrovias será uma de suas prioridades. Modi enviou pêsames às famílias das vítimas com uma mensagem no Twitter.

A Índia opera 9.000 trens de passageiros e transporta cerca de 18 milhões de pessoas todos os dias. Houve inúmeros acidentes ferroviários nos últimos anos, matando centenas de pessoas. Em dezembro, 26 pessoas morreram em um incêndio que tomou conta de uma composição do Nanded-Bangalore Express enquanto ele estava viajando pelo sul do estado de Andhra Pradesh. Em agosto, 28 pessoas foram mortas após serem atingidas por um trem expresso enquanto tentavam fazer uma travessia em um local proibido para pedestres, no estado de Bihar.

(Com agência Reuters)