Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Testemunha confirma relação entre genro do rei espanhol e governo regional

José Ballester, ex-secretário de Esportes do governo das Ilhas Baleares, liga Iñaki Urdangarin, casado com a princesa Cristina, a negociações milionárias

Por Da Redação 18 fev 2012, 16h46

O ex-secretário de Esportes do governo regional das Ilhas Baleares, José Luis Ballester, declarou neste sábado em depoimento à Justiça espanhola que Iñaki Urdangarin, genro do rei da Espanha, e Jaume Matas, ex-governador regional, mantinham negociações milionárias.

Ballester depôs como acusado durante quatro horas e meia perante o magistrado José Castro, instrutor do caso aberto contra Urdangarin e seu sócio Diego Torres por suposto desvio de fundos públicos e fraude através do Instituto Nóos.

Em seu depoimento, segundo informaram fontes jurídicas, Ballester explicou que o genro do monarca espanhol e Matas pactuaram negócios no valor de quase três milhões de euros entre 2004 e 2007. Reconheceu, além disso, ter sido intermediário entre o então chefe do executivo balear e o marido da princesa Cristina, filha mais nova do rei da Espanha. No entanto, o ex-secretário esclareceu que as decisões que representaram a entrega de fundos públicos de forma supostamente fraudulenta corresponderam ao ex-governador e a outros altos funcionários do governo autônomo balear da época.

Urdangarin e seu sócio, Diego Torres, são acusados de obter seis milhões de euros de fundos públicos, em parte graças a contratos com os governos regionais de Baleares e Valência. Além disso, segundo documentos encontrados pela Polícia, Urdangarin e Torres criaram supostamente uma trama de sociedades para desviar os fundos captados pelo Instituto Nóos e enviar parte dos recursos ao paraíso fiscal de Belize.

No final do ano passado, a Casa Real espanhola decidiu excluir Iñaki Urdangarin de suas atividades oficiais, alegando que seus negócios pareciam apresentar irregularidades.

(com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade