Clique e assine a partir de 9,90/mês

Terroristas de Paris tinham ligações na Grã-Bretanha, diz jornal ‘WSJ’

Segundo um oficial da inteligência europeu, o país seria o próximo alvo dos extremistas do Estado Islâmico

Por Da Redação - 4 dez 2015, 21h13

A rede militante por trás dos ataques do mês passado em Paris tinha ligações na Grã-Bretanha, afirmou nesta sexta-feira o Wall Street Journal, citando autoridades ocidentais não identificadas. Várias pessoas suspeitas de terem conexão com Abdelhamid Abaaoud, jihadista do Estado Islâmico (EI) mentor dos ataques de 13 de novembro, têm a Grã-Bretanha como base, de acordo com as autoridades citadas pelo jornal.

Essas pessoas, incluindo algumas de origem marroquina, teriam como base a área de Birmingham, centro da Inglaterra, a 190 quilômetros de Londres.

Leia também:

Alemanha prende suspeito de vender armas a terroristas de Paris, diz jornal

Em novo vídeo, EI mostra crianças assassinando homens sírios

Continua após a publicidade

Britânicos realizam primeiros ataques aéreos na Síria

Não houve nenhuma indicação oficial em Londres sobre uma conexão entre o grupo que realizou o ataque na capital francesa, que matou 130 pessoas, e militantes britânicos. Contudo, grupos extremistas costumam ter contatos espalhados, incluindo via redes sociais.

Próximo alvo – Um oficial da inteligência contraterrorista europeu afirmou à rede americana CNN que a Grã-Bretanha pode ser o próximo cenário de atentados promovidos por extremistas do EI. Segundo ele, os chefes do grupo terrorista estariam ordenando aos jovens jihadistas britânicos na Síria e no Iraque que retornem ao seu país de origem para efetuar os ataques.

A Grã-Bretanha sofreu o seu pior ataque do terrorismo islâmico em julho de 2005, quando 52 pessoas foram mortas por homens-bomba no metrô e em um ônibus. O país, que começou a bombardear o EI na Síria nesta semana, está atualmente em elevado estado de alerta.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade