Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Terror mata mais de 30 pessoas em 5 países neste Natal

Houve atentados na Nigéria, durante missa, no Sudão, na Ásia e no Iraque

Por Da Redação 25 dez 2011, 08h20

Atentados terroristas mataram mais de 30 pessoas pessoas na África, na Índia, no Iraque e no Afeganistão nesta manhã de Natal. Uma explosão atingiu neste domingo uma Igreja Católica durante uma missa nas imediações de Abuja, a capital da Nigéria. Informações preliminares indicam 15 mortos.

Em Bagdá, capital iraquiana, pelo menos dois soldados morreram neste domingo e outras 12 pessoas ficaram feridas em um ataque suicida contra um posto de controle na localidade de Al Dujail, 70 quilômetros ao norte da capital. O atentado foi perpetrado por um terrorista suicida a bordo de um carro-bomba. Os feridos são quatro soldados e oito civis.

Na Índia, três policiais indianos morreram neste domingo e um ficou ferido em um confronto fratricida na parte indiana da região em disputa da Caxemira, ao norte do país, informou uma fonte das forças de segurança. Um alto comandante policial não identificado explicou à agência local ‘Ians’ que o fato aconteceu em um acampamento do distrito de Kulgam, onde uma briga entre membros da Força da Reserva Central da Polícia acabou se convertendo em um tiroteio.

Sudão – O dirigente rebelde Khalil Ibrahim, líder máximo do principal grupo insurgente de Darfur, Movimento de Justiça e Igualdade (MJI), morreu neste domingo na região sudanesa de Cordofão, durante um ataque do Exército do Sudão.

Segundo um comunicado das Forças Armadas, Ibrahim faleceu em um tiroteio depois que os soldados interceptaram o comboio no qual viajava e o perseguiram na região de Wed Banda, situada na província de Cordofão do Norte, vizinha à região de Darfur, no oeste do Sudão.

Afeganistão – Um atentado suicida deixou pelo menos 15 mortos, entre eles um parlamentar, no nordeste do Afeganistão. “Em uma cerimônia funeral, uma se atirou sobre o povo reunido, matando 15 pessoas, inclusive Abdul Mutalib, um parlamentar de Tajar”, disse o governador da província, Abdul Yabar Taqwa.

Continua após a publicidade
Publicidade